Abertas matrículas para os inscritos no ProJovem

Os jovens de 18 a 24 anos inscritos no Programa Nacional de Inclusão de Jovens (ProJovem), no período de 13 de março a 6 de maio, têm até o fim de junho para fazer a matrícula e garantir a vaga. Este prazo é para os jovens de 23 capitais. Os que se inscreveram em São Paulo, Salvador e Maceió devem aguardar aviso de abertura das matrículas. Em Recife não há matrícula porque a cidade preencheu as vagas em 2005.Para saber o local, o inscrito deve procurar a prefeitura, pedir informação pelo telefone gratuito 0800 3642-7777 ou aguardar uma carta da coordenação do programa. Na matrícula, o jovem deve apresentar oito documentos originais e cópias. Se não tiver todos, pode garantir a inscrição com a certidão de nascimento. Os documentos são: certidão de nascimento, carteira de identidade, CPF, título de eleitor, carteira de trabalho, comprovante de residência, declaração de conclusão da 4º série do ensino fundamental, histórico escolar.As matrículas estão abertas em Aracaju (SE), Belém (PA), Belo Horizonte (MG), Boa Vista (RR), Campo Grande (MS), Cuiabá (MT), Curitiba (PR), Brasília (DF), Fortaleza (CE), Florianópolis (SC), Goiânia (GO), João Pessoa (PB), Macapá (AP), Manaus (AM), Natal (RN), Palmas (TO), Porto Alegre (RS), Porto Velho (RO), Rio Branco (AC), Rio de Janeiro (RJ), São Luís (MA), Teresina (PI) e Vitória (ES).O ProJovem, criado em 2005, é executado pela Secretaria-Geral da Presidência da República, em parceria com três ministérios (Educação, Trabalho e Desenvolvimento Social) e prefeituras das capitais. O curso dura 12 meses, período em que os jovens completam o ensino fundamental e recebem qualificação profissional, inclusão digital e aulas de inglês. Para freqüentar as aulas, cada estudante recebe por mês um auxílio de R$ 100,00, que é retirado na Caixa Econômica Federal.No ProJovem, além de obter o certificado de conclusão do ensino fundamental, o jovem pode escolher a atividade de acordo com sua vocação e possibilidades de trabalho. São 23 áreas. Cada prefeitura escolheu quatro, segundo as necessidades e demandas de mão-de-obra local: telemática, construção e reparos 1, construção e reparos 2, turismo e hospitalidade, vestuário, administração, serviços pessoais, serviços domésticos 1, serviços domésticos 2, madeira e móveis, esporte e lazer, metalmecânica, arte e cultura 1, arte e cultura 2, saúde, gestão pública e terceiro setor, educação, alimentação, gráfica, joalheria e agroextrativismo.

Agencia Estado,

30 de maio de 2006 | 18h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.