Divulgação
Divulgação

‘A polícia tem o seu papel a cumprir’

Segundo o secretário da Educação do Estado, toda vez que houver invasão, será solicitada a reintegração de posse da escola

Entrevista com

Herman Voorwald

VICTOR VIEIRA, O Estado de S. Paulo

13 de novembro de 2015 | 03h00

Quatro dias após o início de uma onda de ocupações de escolas estaduais contra a reorganização da rede, nesta quinta-feira, 12, chegou a cinco o número de colégios tomados por alunos.  Em entrevista ao Estado, o secretário da Educação do Estado, Herman Voorwald, disse que convidou estudantes para conversar, mas eles negaram. 

Foi a Secretaria da Educação que solicitou a PM nas escolas?

Não houve por parte da secretaria nenhuma orientação ou desorientação. A polícia tem o seu papel a cumprir. 

A crítica é de exagero da PM para um ato de adolescentes. 

Estava na secretaria quando tentaram invadir (em ato de professores grevistas, de abril). Sei a violência com que esse prédio foi agredido. É bom analisar os dois lados da moeda.

Mas a PM está cumprindo seu papel corretamente agora?

Não faço juízo de valor.

O governador disse que essas ocupações estão misturadas com política. Como o senhor vê?

Quando a ocupação tem o objetivo de o aluno mostrar que ama a escola é uma conversa boa. E que do discurso ocorra a prática: que escolas não sejam depredadas e professores não sejam agredidos. Amar a escola é preservá-la. Se esse for o espírito, fico contente. Mas usar isso como bandeira para que entidades apareçam na mídia, para aproveitar o momento político, lamento.

Como vai dialogar com eles?

Pus um ônibus na porta da escola e convidei os meninos para conversar. Não quiseram.

Quais as próximas medidas?

Toda vez que houver invasão, vamos solicitar a reintegração de posse.

Tudo o que sabemos sobre:
EducaçãoSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.