5 alunos da USP contam o que é que a virada tem

30 de abril de 2009 | 00h20

SÃO PAULO - Victor Berbel, 21 anos - Arquitetura

“Recomendo a banda Farufyno (20h30), no palco Rio Branco, porque é de um pessoal muito legal aqui da Faculdade de

Arquitetura da USP.”

Beatriz Pereira, 22 anos - Letras

“Indico o show do Tom Zé, no Teatro Municipal (meia-noite). Ele é um cantor tropicalista que mantém um pouco o espírito da época em que ele surgiu.”

André Freire, 20 anos - Direito

“A peça Édipo Rei, nos jardins do Anhangabaú (5 h), que será encenada pela companhia de teatro aqui da Faculdade de Direito da USP, da qual eu participo.”

Diego Navarro, 20 anos - Letras

“Recomendo os shows bregas, no Largo do Arouche (a partir das 19h30). Vei ter Wando, Reginaldo Rossi, Silvio Brito, Odair José,... Hoje a produção cultural está tão tosca que o melhor é recorrer ao que é autenticamente tosco para se divertir.”

André Gomes, 20 anos - Relações Públicas

“O legal da Virada é não ter um único objetivo. O mais divertido é ficar andando de um lado para o outro, indo atrás das boas atrações meio ao acaso.”

Mariana Bassi, 18 anos - Publicidade e Propaganda

“Acho que o Piano na Praça, na Praça Dom José Gaspar (a partir das 19 h), vai ser bem relaxante e gostoso. Vão estar por lá Duo Lumina, Duo Gis Branco e Vitor Gonçalves, entre outros.”

Natasha Kiyo, 21 anos - Arquitetura

“Clube do Balanço (1h30) e Sambasonics (6h), no palco Rio Branco, porque eles tocam um samba-rock muito bom”

Tudo o que sabemos sobre:
pontoedu

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.