22% dos municípios dispensaram o livro na educação básica

Balanço do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) mostrou que 143 prefeituras paulistas – 22% do total no Estado – não aderiram ao Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), que distribui de graça cerca de 130 milhões de livros por ano às escolas públicas do País de ensino fundamental e médio.

Isis Brum, Jornal da Tarde

03 Novembro 2010 | 10h03

 

Leia também:

- Uso de apostilas cresce nas escolas de ensino infantil e desperta polêmica

 

A grande maioria dessas cidades trocou a adesão aos livros pela contratação de sistemas de ensino apostilados, apoiando as aulas só nesse material. O custo do método, que prevê assessoria pedagógica e se consagrou em escolas particulares, varia de R$ 125 a R$ 170 por aluno.

 

Essas 43 cidades, em sua maioria pequenas, têm 103 mil alunos matriculados em escolas municipais. Até 2009, todas as escolas das redes públicas do Brasil recebiam automaticamente os livros, sem precisar pedir.

Mais conteúdo sobre:
Sistema ApostiladoPNLD

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.