O papel do professor na aprendizagem dos alunos

O papel do professor na aprendizagem dos alunos

Colégio Albert Sabin

11 de fevereiro de 2016 | 10h32

Sob diferentes enfoques, concepções e argumentos, a formação docente vem sendo abordada nos últimos tempos. As discussões assumem, atualmente, uma conotação voltada para a busca do perfil desse profissional que possibilita que os estudantes sejam bem-sucedidos em diferentes momentos da escolaridade, no que diz respeito ao desenvolvimento dos aspectos cognitivos e socioemocionais.

É fato que quanto mais comprometidos com a aprendizagem dos alunos os professores estiverem, maior a chance de essa evolução acontecer. Nesse contexto, a formação e o aprimoramento profissional continuado, alvos dessas discussões, são considerados fundamentais aos docentes.

No entanto, é importante que se questione o tipo de professor que se pretende formar e para qual modelo educativo. Atrelado a isso, deve-se considerar quais aspectos relacionados ao processo do desenvolvimento docente são relevantes para que se alcance os resultados esperados.

Também é preciso ter em mente quais propostas de aperfeiçoamento apresentar para que o professor desenvolva as competências fundamentais para o desempenho de suas funções em diferentes realidades e contextos escolares, a fim de que o conhecimento seja aprendido e apreendido por meio de sua ação.

Considerando a complexidade e a importância da formação do professor, que vai além da prática pedagógica e dos saberes docentes, é necessário pensar em um desenvolvimento profissional que exceda a formação específica.

papel do professor

Ao longo de sua trajetória, o docente desenvolve um variado repertório de conhecimentos, constrói diferentes saberes a partir da ciência acadêmica, da prática pedagógica, do trabalho colaborativo e da aprendizagem entre os pares. No entanto, a prática, embora muito relevante, por si só não supera o domínio dos conteúdos específicos e não oferece, de forma sistematizada e articulada, a base de conhecimento que o professor necessita para ensinar. 

Entendimento do conteúdo específico que se pretende lecionar, estratégias que construam situações de aprendizagem, relacionamento interpessoal, mediação e gestão de conflitos são algumas das competências primordiais para exercer a função de professor, que envolve não só conteúdo, mas também a compreensão das especificidades das diferentes séries e níveis de escolarização, além dos diversos contextos de aprendizagem dos alunos.

O desenvolvimento profissional continuado se dá em contextos e momentos diversificados. É um processo contínuo de autoformação e fortalecimento da equipe pedagógica que visa complementar e aprofundar a formação do professor, e desenvolver o trabalho pedagógico nas diversas áreas do conhecimento, com enfoque na melhoria da proposta pedagógica e no planejamento de ações didáticas para as aulas, como intervenções, projetos, uso de recursos que potencializem o aprendizado, entre outras.

Para um desenvolvimento mais amplo do profissional, podemos considerar três dimensões: individual, coletiva e organizacional.

Dimensão individual: é o professor como aluno de sua própria especialidade ao longo da vida, por meio da realização de cursos de graduação e/ou pós-graduação que complementem e aprofundem sua formação inicial, da participação em congressos, de leituras de naturezas diversas com foco na ampliação de repertório e de leitura de mundo, da busca por saberes relativos a outros domínios que transcendam a própria escola, e do acompanhamento do processo de produção de conhecimento na sua área específica.

Dimensão coletiva: dentro de propostas como palestras e cursos voltados para a aprendizagem profissional, sessões de estudos com temas relativos ao processo de ensino-aprendizagem nas diversas áreas do conhecimento e oficinas, a equipe analisa e reflete sobre os conceitos trabalhados e dá continuidade aos assuntos propostos.

É importante salientar que há demandas diferentes para os diversos componentes curriculares, porém o objetivo será sempre o mesmo: o aprendizado escolar com foco no máximo desenvolvimento do potencial dos estudantes.

Dimensão organizacional: a instituição deve apresentar um ambiente propício para o compartilhamento de ideias e a interação entre os pares, além de envolver o corpo docente em um trabalho colaborativo que permita discutir temas que evidenciem como a aprendizagem pode ser potencializada. Para isso, a escola pode usar ferramentas como:

– Elaboração de questões para provas e atividades diversas;

– Uso de tecnologias variadas como forma de valorizar as práticas pedagógicas (internet, vídeos, aplicativos, etc.);

– Metodologias de ensino;

– Integração entre as diversas áreas do conhecimento;

– Atitudes positivas em relação à aprendizagem, considerando os aspectos cognitivos e socioemocionais;

– Oferecimento de instrumentos que viabilizem um olhar investigativo do educador frente aos problemas e eventuais distúrbios de aprendizagem.

O trabalho docente requer um conjunto de saberes que não são aprendidos espontaneamente. Deve haver uma intencionalidade, um propósito para que esse repertório articulado faça sentido para os estudantes e possibilite a inter-relação entre os conteúdos dos diferentes componentes curriculares e, finalmente, para que ele se constitua em um Profissional do Ensino.

Suely Nercessian Corradini

Diretora pedagógica do Colégio Vital Brazil.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.