A conquista da autonomia e a adolescência

A conquista da autonomia e a adolescência

Colégio Vital Brazil

19 de novembro de 2019 | 10h40

A autonomia é uma habilidade construída no decorrer da vida, sendo potencializada na adolescência, fase caracterizada por mudanças emocionais, físicas e sociais, as quais enaltecem as relações com a família e com a sociedade.

Nesse contexto, os pais têm papel importante na conquista da autonomia de seus filhos; o que se espera é que os pais deem aos filhos seu devido espaço, mas que seja possível, nessas ocasiões, observá-los, a fim de que os adolescentes tenham liberdade para exercerem sua autonomia rumo à independência, mas com responsabilidade, de maneira a se tornarem autores dos próprios atos.

Para tanto, fica a tarefa de formar cidadãos seguros, participativos, críticos e atuantes na sociedade, com funções específicas e objetivos claros para encarar o futuro.

No momento em que a infância dá lugar a adolescência, muitas lembranças vêm à tona: o primeiro brinquedo, a sinalização de nossos pais para uma alimentação adequada, a alegria do brincar dando asas à imaginação, o primeiro dia de aula, as festinhas de aniversário, a primeira bicicleta… Ah, a primeira bicicleta! Quantas sensações… A leveza, a possibilidade de independência, o sabor do vento, alguns tombos, o ir e vir, a corrida desenfreada, o freio necessário.

Aprender a andar de bicicleta é algo processual e inesquecível; a construção da autonomia, da mesma forma. Descortinam-se emoções que fortalecem o indivíduo para a vida. Eclodem sentimentos perceptíveis a olhos nus.

Algumas estruturas compõem esse momento. A principal, o quadro, onde boa parte dos demais componentes são instalados: o selim, o câmbio, o pedal, a roda e o freio – uma estrutura de vida – alicerçados pelos valores transmitidos no seio familiar. O selim cumpre a função de acomodação do ciclista; dá suporte e firmeza a quem conduz; dessa maneira, o adolescente sente-se mais confortável em ter alguém em quem se apoiar – pais e educadores. O guidão, peça tubular fixada na mesa destinada a orientar a direção da bicicleta – orientação esta que sustenta e conforta; orientação esta subsidiada por aqueles que compõem a socialização primária. Os freios são responsáveis por acionar ou pausar o movimento – a importância do avançar ou recuar em situações e decisões no que se refere ao processo maturacional do adolescente. A roda – pneus e aros permitem o contato com o solo com aderência e atrito adequados, possibilitando assim o arranque, a frenagem e a pilotagem – ter objetivos e projetos de vida definidos dá segurança, tranquilidade e motivação para o crescimento e a inserção na sociedade.

Ficam aqui algumas dicas que podem corroborar com o aprendizado:

  1. Não carregue muito peso em sua bicicleta nem em sua vida.

Quanto mais peso você colocar, mais força terá de fazer ao acelerar, fazendo com que sua autonomia diminua. Procure não colocar muito peso, para que a autonomia seja prolongada, contínua e efetiva. Ações executadas com confiança, leveza e organização traduzem tranquilidade na pedalada.

  1. Fique atento à calibragem dos pneus e ao ritmo de sua vida.

Para terrenos mais regulares, o mais indicado é deixar os pneus com uma pressão mais alta, isso faz com que o pedalar seja mais leve, prolongando a autonomia da sua bicicleta. Para tanto, calibrar seus pneus é muito importante. Se seu trajeto tiver terrenos irregulares, o mais indicado é deixar a calibragem com a pressão mais baixa, assim ele ficará mais maleável e será mais fácil andar nesses terrenos. Ser maleável significa ser flexível, adaptando-se a diferentes situações com discernimento e assertividade, independentemente do tipo de terreno apresentado.

  1. Faça a manutenção preventiva.

Procure sempre manter a sua bicicleta com a manutenção em dia! Ela garante que sua bike esteja sempre nas melhores condições e não apresente problemas. Na vida, a manutenção regular exige atenção e cuidado com o individual, com o processo de crescimento e com a busca e conquista da autonomia. Ter a manutenção em dia significa manter o foco naquilo que se deseja; significa fazer escolhas conscientes. Enfim, significa encarar as frustrações com maturidade, na certeza de que elas fazem parte do processo de construção rumo à autonomia.

 

Este artigo foi elaborado por Rosângela Ferneda, coordenadora assistente do Fundamental II do colégio Vital Brazil.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: