Atividades ao ar livre desenvolvidas na Stance Dual School

Atividades ao ar livre desenvolvidas na Stance Dual School

Stance

12 Maio 2016 | 09h05

Da minha Escola eu vejo o céu!

Na Stance Dual School, o ambiente externo privilegiado de que a escola dispõe é explorado para diversas atividades, brincadeiras e como lugar de experimentação dos conteúdos vistos em sala de aula. A escola é repleta de árvores e plantas, até mesmo amostras variadas de mata atlântica, e todo o espaço é utilizado para complementar o aprendizado e promover vivências múltiplas, lúdicas e acadêmicas.

O horário do recreio, por exemplo, é dividido em dois momentos distintos: os alunos têm um tempo para lanchar e outro apenas para brincar. Da Educação Infantil ao Ensino Fundamental 2, esse tempo da brincadeira conta com uma equipe de monitores especializados (profissionais formados em Educação Física) que disponibiliza atividades esportivas e recreativas, como queimada, pega-pega, esconde-esconde, corda, pingue-pongue, pebolim, etc., além da prática de esportes ou jogos de tabuleiro.

fotosrecreioestadao4

A equipe acolhe os alunos e faz a mediação dos conflitos, interagindo se necessário. Quando param para comer, do 2º ao 5º ano, o lanche é feito fora da sala, com os alunos reunidos num piquenique ou sentados nos bancos espalhados pela escola.

fotosrecreioestadao

Além disso, diversos projetos curriculares são desenvolvidos ao ar livre. No 1º ano, por exemplo, as crianças estudam os insetos. O programa contempla tanto aulas em sala como a saída pela escola a fim de buscar insetos na “floresta” – como é chamada a área de vegetação densa – para observá-los e descrevê-los. Um projeto semelhante também é desenvolvido no 6º ano, quando se amplia a observação dos insetos para todos os componentes vivos encontrados, como parte do estudo dos fatores bióticos e abióticos desenvolvido em Ciências.

As aulas de Artes também podem ser circulantes. Em vários momentos, os alunos saem para realizar propostas diversas, como a coleta de folhas para decalque ou a composição de desenhos de observação – tema principal do 4º ano, por exemplo, que registra as árvores da escola. Ainda, se uns desenham a escola, outros desenham, literalmente, na escola: este é um dos projetos do 9º ano, que ao completar o ciclo deixa sua marca para o ano seguinte, grafitando o mural que fica localizado no bosque.

FOTOMURAL

Na Educação Infantil, por sua vez, também são muitas as ocasiões em que os alunos deixam a sala de aula para explorar o ambiente e vivenciar os conteúdos trabalhados. São realizados piqueniques ao ar livre, pintura na parede de azulejos da área externa, brincadeiras tradicionais “estudadas” nas aulas de Natureza e Sociedade, caça ao tesouro com busca entre as árvores, contação de histórias, etc. Isso para não falar em disciplinas específicas, desenvolvidas quase integralmente outdoor, como a Jardinagem.

Fotos Plantio_Estadao

Todas essas atividades propiciam aos alunos a exploração do espaço e a concepção, desde pequenos, de que todo lugar é lugar de aprender, para pequenos e grandes – pois quando chegam ao EF 2, como vimos, ainda podem brincar de caça ao tesouro, agora com mapas que exigem cálculos de coordenadas e princípios matemáticos para se chegar ao prêmio. Dessa forma, explorando criativamente diferentes espaços e apropriando-se deles, para além dos conteúdos aprendidos, os alunos vão constituindo noções de dentro vs. fora, público vs. privado, identidade vs. alteridade, e desenvolvem aos poucos a percepção crítica necessária para agir, com sabedoria, onde quer que seja.