Uma pausa para…estudar?

Estadão

27 de janeiro de 2011 | 12h03

Enquanto espero o resultado da Fuvest, tiro um tempo para curtir o meu “descanso”. Digo “descanso”, entre aspas, pois isso só inclui acordar um pouquinho tarde (às 07:50) e não chegar perto de apostilas e livros didáticos… Só isso!

Semana passada, dei início às aulas particulares de matemática. Decidi esse ano me dedicar às exatas, área que tenho mais dificuldade. Percebi que não posso odiá-la, afinal de contas, ela é tão importante quanto a língua portuguesa.

Entre uma aula e outra, tiro um tempo para a leitura. Acabei de ler O Mulato, de Aluísio Azevedo, e já comecei a ler outra obra: Boca do Inferno, de Ana Miranda. O romance recria a cidade de Salvador no século XVII, narrando a vida do poeta Gregório de Matos, cujo apelido dá título ao livro. A literatura barroca brasileira me interessava desde o ano passado, mas não conseguia achar um tempo livre para estudá-la.

Em matéria de poesia, graças ao vestibular, era muito mais importante entender Vinicius de Moraes a qualquer outra coisa. E o lirismo derramado do poetinha me tomou tempo…

Parece que, em férias ou não, acabo me encontrando na mesma situação: Agarrada aos livros. Sei que para alguns leitura é sinônimo de estudo, mas, para mim, é muito mais que um hobby. Sem exageros, a leitura é uma das coisas que me dá sentido à vida. Será que os escritores, que antes eram grandes leitores, já tiveram essa mesma sensação? 

Se a rotina de estudo e, futuramente, a do trabalho, não conseguir massacrar minha essência, um dia eu poderei responder a essa pergunta. Sei que estou a caminho de ser uma grande leitora. E só sendo uma grande leitora posso ser uma escritora.  Bem, sonhar não custa nada, não?

Bianca estudou por conta própria para entrar em Letras

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: