Panelinhas existem em toda escola, inclusive nas Waldorf

Estadão

27 Agosto 2010 | 11h39

Talvez, pelo conteúdo abordado no post passado, alguns leitores tenham pensado que os alunos Waldorf sejam alienados, vivem em outra dimensão… Bom, alguns até são, porém muitos (acredito) são como alunos de escolas convencionais.
 
Existe um forte movimento dentro das escolas Waldorf para mostrar que, nos colégios que seguem essa pedagogia, não existem as famosas panelinhas. Depois de ter passado por três escolas Waldorf, afirmo que sim, elas existem! Não são tão terríveis quanto em outros lugares, mas estão ali e cada vez mais presentes, embora muitos queiram esconder debaixo do tapete.

Tem de tudo: desde os deslumbrados até os pé no chão; de patricinhas histéricas a machões buscando meios de se afirmarem; dos convencidos a serem “pilares da turma”, discutindo com pessoas que têm opinião própria. É uma salada russa bem temperada.
 
Há momentos em que as diferenças são postas de lado e são essas horas que deixam boas recordações. Mas depois de tantos anos de convívio, agora eles parecem tão raros… Tem vezes que a vontade que dá é de mandar todo mundo pro inferno, especialmente os tais “pilares”. Como também há dias em que devemos parabenizar todo mundo depois de algum trabalho executado corretamente.

Sabrina está no 3º ano do ensino médio da escola Waldorf Micael