Os incomodados que se retirem

Estadão

01 Novembro 2010 | 08h00

Estou de volta! E para todos que pensam que a vida monástica é zen (zen por cento do tempo), estão completamente enganados, assim como eu estava até participar desse retiro espiritual.

Assim que coloquei os pés nas dependências do templo só conseguia pensar : que lugar lindo, limpo, ensolarado, passarinhos cantando, comida oriental , corpo e mente em dia, paz e silêncio. Mas, como tudo isso acontece se por aqui todo mundo anda vagarosamente, medita por um tempão e está sempre em silêncio! Não precisei de muito tempo para entender o que fazia a roda girar naquele lugar.

Num breve resumo, explico tudo o que vi. Lugar lindo: obra da mãe natureza. E uma pequena ajudinha da inspirada “decoração” oriental. Lugar limpo: porque você voluntariamente levantou às 4h da manhã, agarrou-se a uma vassoura e, antes que pudesse notar que sua alma já estava dentro do corpo, emocionou-se como se fosse a primeira vez que seus olhos vissem o nascer do sol. Passarinhos cantando: acho que eles estavam cantando porque não sabem rir… minha cara de cansada devia estar uma piada! Comida oriental: orgânica, que você planta, cuida para que nenhum pesticida se aproxime delas, acompanha o crescimento, colhe com todo cuidado e, finalmente, leva para a sala de artes (lugar que eles insistem em chamar de cozinha). Corpo e mente: depois de trabalhar e comer, vamos dormir! Errado! Vamos alimentar a alma com técnicas de meditação que exigem bastante esforço. Mas, com uma participação especial do Mestre Ch’ an e seu Darma Xia Ban, tudo se resolve.

Bom, chegou o dia de voltar para São Paulo, trago na bagagem lições importantes. Volto mais disciplinada, disposta e responsável por tudo o que me acontece. Independente de nossas crenças, tudo o que nos acontece, acontece perto o suficiente para que possamos interferir!
Então, cabe a cada um assumir suas responsabilidades e agir para mudar o panorama da casa, da escola, das amizades e do país onde vive.

Sim, foram dias diferentes que me fizeram mudar pra sempre. Recomendo a todos que puderem! Lembrando que para meditar não é preciso recorrer sempre aos retiros. Isso podemos e devemos fazer todos os dias.

Meditação:  medite a ação. Pense antes de agir, sempre!

Namastê.

Mariana é enfermeira e pós-graduanda da USP

Mais conteúdo sobre:

meditaçãoretirotemplo