Mudar faz parte

Estadão

09 Maio 2011 | 10h00

Não consigo decidir para que curso quero prestar vestibular. A Medicina sempre esteve no meu campo de opções. Desde que comecei a pensar em faculdade, ela era a minha escolha. Agora isso não está mais tão claro.

Os caminhos que vamos seguindo na vida nos fazem descobrir novas aptidões e criar novos desejos. Comigo anda sendo assim. Começo a pensar que talvez a Biomedicina seja mais o que eu esteja disposto a me preparar e exercer. Não sei se é pela atuação do profissional biomédico, seu local de trabalho, enfim.

O Jornalismo também vem me seduzindo muito ultimamente. Consigo me ver como jornalista e acredito que me sentiria muito realizado. É uma área que venho descobrindo conversando com pessoas na área, pesquisando a respeito de como é o dia a dia, buscando universidades que ofereçam o curso.

Não enxergo essa indecisão como uma coisa ruim. A esta hora, posso ter todas as dúvidas e buscar aquilo que realmente me fará bem. Me permito mudar o caminho que pretendo trilhar, porque se não o fizer agora depois será uma tarefa bem mais complicada. Por mais que uma escolha me pareça definitiva e adequada, sei que nada nisso que chamamos de vida é definitivo. Fazemos novos planos de acordo com as circunstâncias novas que nos são impostas.

Seja na Biomedicina ou no Jornalismo, o importante é fazer bem aquilo a que eu me propor, com disposição de fazer alguma diferença no mundo em que vivemos, fazer a minha parte. Não muda quem não evolui. E estou disposto a mudar quantas vezes forem necessárias, afinal, o que está em jogo é a minha vida e a minha realização pessoal.

Ederson Oliveira é vestibulando e faz curso técnico em enfermagem