Indeciso aos 45 do 2º tempo

Estadão

27 Abril 2011 | 14h47

Oi, pessoal! Meu nome é Tomás Millan, tenho 17 anos e estudo na Escola Vera Cruz, na zona oeste de São Paulo. Estou no 3.º ano do ensino médio e, por isso, ouço a palavra vestibular todo dia. Para o bem ou para o mal, o processo seletivo é uma realidade inevitável, e terei de lidar com ele pelos tempos que estão por vir.

Mas a preocupação não é recente. Desde o ano passado vivo um angustiante processo de preparação, já experimentando um pouco da realidade da vida de um vestibulando. Prestei a Fuvest como treineiro na área de biológicas e passei na 1.ª fase, embora não tenha acreditado quando vi o resultado.

Interrompi as férias de janeiro para voltar a São Paulo e fazer a exaustiva 2.ª fase. Infelizmente, não obtive o mesmo sucesso da 1.ª etapa.

Ainda que antenado aos rigorosos requisitos para ingressar em uma boa universidade, ainda estou indeciso sobre que profissão escolher. Já visitei universidades, conversei com profissionais, me perdi nas páginas do Guia do Estudante e agora recorri a uma orientação vocacional.

Mesmo com essa dúvida na cabeça, tento encontrar mais incentivo para os estudos. Ainda estamos no começo do ano e já me sinto exaurido! Aliado a essas inquietações, o tempo parece me desafiar. Como conciliar estudos, uma decisão de vida e, paralelamente, necessidades, desejos pessoais e a vontade de aproveitar o último ano da escola na qual sempre estudei?

Se alguém souber, entre em contato.

Tomás Millan é aluno do 3.º ano da Escola Vera Cruz

Mais conteúdo sobre:

CursoVera Cruzvestibular