Filosofia ajuda no vestibular

Estadão

07 Setembro 2010 | 08h00

A semana que passou foi a que mais estudei até agora. Talvez pela proximidade das provas. E ainda tive que engolir temas chatos, como pilhas, em química, e números complexos, em matemática. Mas, para compensar, teve palestra sobre Revolução Russa. História é sempre bom.

Os últimos dias também foram dedicados a leituras não obrigatórias, o que é um alívio. Comecei a ler “Aprender a Viver: Filosofia para os Novos Tempos”, de Luc Ferry. É um tipo de introdução à filosofia de forma geral: explica o que é, fala de teorias, cita pensadores. Mas confesso que também estou lendo por causa do vestibular. Filosofia sempre ajuda a responder questões de história, ou até mesmo para a própria redação, como foi o caso do último tema da Fuvest, que pendia para uma questão filosófica. Além do mais, a própria Unesp passou a incluir esse tema nas suas provas. É um pouco de lazer e um pouco de estudo ao mesmo tempo. Aproveito para ler no trajeto de uma hora de casa até o cursinho, no metrô e no ônibus. É um momento no qual eu não faria nada, e acabo aproveitando para aprender um pouco mais.

Para descansar, teve esse feriado. Tudo bem que, para quem vai fazer vestibular, feriado nunca é realmente feriado. Mas deu para descansar. Recusei convites de amigos para ir à praia. Preferi descansar apenas por um dia e estudar nos outros.

E, fora as provas, que estão chegando, também tem as eleições. Vou ver se pesquiso sobre os candidatos a deputado, porque ainda não faço a mínima ideia de quais escolher. Fica a promessa de ir atrás disso logo!

Cinthia é vestibulanda do Etapa e vai prestar Administração e Economia

Mais conteúdo sobre:

Filosofiavestibularvida de estudante