Ficar no cursinho até tarde vale a pena

Estadão

04 Agosto 2011 | 10h48

As aulas recomeçaram. E, junto, uma nova rotina de estudos.

No último post comentei sobre um novo cronograma. Pois bem, já o coloquei em prática. Na segunda, primeiro dia de aulas pós-recesso, fui para o cursinho e já fiquei lá até mais tarde. Desde então, estou ficando no cursinho das 14h às 20h.

Em três dias já pude fazer duas observações. A primeira é que ficar no cursinho três horas a mais não é cansativo. Pelo contrário. Como já estou lá, continuar os estudos após a aula é mais fácil. Quando saio do cursinho e vou para casa, há um intervalo de uma hora e meia, aproximadamente. E é um período estressante devido à demora, ao trânsito, etc. Então, definitivamente chegar em casa e estudar é muito mais complicado. Já que o ritmo se perde e o sofá se torna mais atrativo que o normal.

A segunda observação é que as horas que passo na sala de estudo, após o horário normal de aula, passam rápido demais e o tempo não é suficiente para estudar toda a matéria do dia.

Por enquanto o novo plano de estudos está dando certo. Ao menos no que diz respeito a colocá-lo em prática. O fim de semana está ai e o sábado está planejado para os estudos também. E esse é o meu maior desafio com a nova rotina.

Espero manter o foco. Aliás, não só manter, mas aumentar. O segundo semestre, definitivamente, começou.

Luiza Nunes é aluna do Cursinho da Poli

Mais conteúdo sobre:

cursinhovestibular