Datas

Estadão

31 Outubro 2011 | 18h48

Todos os anos a proximidade de novembro e de dezembro causa arrepios a muita gente. Em mim também, a partir do ginásio já lembro das proximidade das provas finais, e do terror de ter as férias reduzidas se não obtivesse as notas necessárias.

Agora já na pós, as férias não são uma preocupação, o grande problema são os prazos! Por alguma razão, vários congressos e prazos acadêmicos se concentram nesses meses. Eu tenho a qualificação, a aplicação de dois prêmios, um relatório de gastos do meu estágio em Rochester, o relatório de gastos e atividade do congresso da pós-graduação (eu fui um dos organizadores), um pedaço de um paper e alguns experimentos para fechar e começar a escrever outro.

Esse ano colocou à prova minha capacidade de organização, de resolver os problemas e conseguir tudo pronto em datas apertadas, vai me colocar uma prova de fechamento digna de organização na época de vestibular. Olhar para o calendário e ver nos dias mais de três eventos está me deixando de cabelos em pé.

Mas no fim isso é uma necessidade de todas as instância da vida: quanto mais organizado, mais você consegue fazer e mais tempo você tem disponível para você se divertir e usar o seu tempo para o que mais precisar.

Bruno Queliconi é doutorando no Instituto de Química da USP