Ciência consome tempo

Estadão

31 Agosto 2011 | 20h17

Escrever um trabalho científico é ter o cuidado de explicar e expor os seus dados e conclusões da maneira mais clara e menos pessoal possível. Para isso, a maior parte das pessoas passa muito tempo lendo e fazendo um levantamento de tudo que já foi feito e das conclusões sólidas, e das falhas que devem ser comentadas e questionadas.

Isso consome tempo. Fazer isso significa que você se importa com os seus irmãos cientistas e com os trabalhos que eles fizeram. Ao escrever o seu trabalho, você baseia as suas afirmações nos trabalhos que eles publicaram. Esse modelo é base da ciência e deveria torná-la menos suscetível a falhas, pois toda afirmação teria por base conclusões sólidas.

Infelizmente, existem grupos que não se importam com isso. Eles simplesmente ignoram todos os trabalhos anteriores que os contradizem. E fazem afirmações baseadas em meias-verdades ou mesmo em nada. Me revolta o fato de pessoas assim conseguirem passar pelos revisores, enquanto os que fazem certo e mostram todos os lados da história tem tanta dificuldade em publicar.

Mas a vantagem da ciência é que, como você se baseia em outros trabalhos para seguir em frente, se você fizer afirmações infundadas ou abusar das suas conclusões, ninguém conseguirá repetir o que você fez, e com tempo você cairá no esquecimento pois ninguém falará do seu trabalho. No fim, a ciência se auto-corrige – pode levar tempo, mas acontece!

Bruno Queliconi é doutorando no Instituto de Química da USP

Mais conteúdo sobre:

ciênciapesquisa