Boas novas para os bolsistas

Estadão

02 Agosto 2010 | 08h10

Estava a Mariana em seu lugar, veio o mestrado lhe fazer mal… O trabalho é grande, a grana é curta e a Mariana a estudar!! Bem, era mais ou menos isso que eu estava cantarolando até dar de cara com essa notícia:

“Bolsista da Capes e CNPq pode ter outra fonte de renda
Portaria vai permitir que bolsistas matriculados em programas de pós que recebem fomento de agências possam receber remuneração de outras fontes. O documento foi assinado nesta quinta-feira, dia 15, pelos presidentes da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Jorge Guimarães e do  Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Carlos Alberto Aragão.”

Poxa vida, já estava em tempo disso acontecer! Espero que as outras agências de fomento sigam a linha iniciada pela Capes/CNPq. Sabe, a vida do pessoal que faz pós pode, muitas vezes, parecer tranquila. Mas só quem ingressa nessa empreitada pode imaginar a dificuldade que acompanha todo o processo. E a bolsa é um dos principais vilões. Afinal, o valor oferecido pelas instituições diante da exigência de dedicação exclusiva, antes obrigatória, não subsidia as outras necessidades do pós-graduando. O que acaba servindo de estopim para mil dúvidas e até o abandono do curso.

Ah, e não dá pra esquecer que proibir o vínculo empregatício durante a vigência da bolsa não remete apenas a problemas financeiros, mas também pode retardar o desenvolvimento profissional do pós graduando, não é mesmo? Mais informações estão disponíveis aqui, na matéria do Estadão.edu.

Então, se você é daqueles que chupam cana e assobiam, essa é a hora!

Mariana Marques, enfermeira e pós-graduanda da USP