As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Vagas para estudantes brasileiros na Rússia

Redação

03 Agosto 2009 | 08h04

As universidades russas estão com 85 vagas de graduação abertas para brasileiros. Os interessados podem se inscrever até 15 de agosto no processo seletivo, que oferece opções em cursos de Química, Biologia, Física, Medicina, Relações Internacionais, Engenharia e Direito Internacional.

“O Ministério da Educação da Rússia costuma oferecer mais vagas para brasileiros. Historicamente, o Brasil é o país latino-americano que menos mandou alunos para a Rússia”, explica Carolina Tellez, diretora da Aliança Russa de Ensino Superior. A entidade, que representa as principais universidades estatais russas, já enviou mais de 350 brasileiros para estudar lá desde 2005.

Medicina é o curso com mais vagas disponíveis. Ao todo são 40, sendo 20 destinadas para a Universidade Médica Estatal de Kursk, 10 para a Academia Médica de Moscou (MMA) e outras 10 para a Academia Médica de São Petersburgo Mechnikov. O curso pode ser feito em russo ou inglês, a um custo mais baixo do que o oferecido pela maioria das universidades particulares brasileiras.

“As universidades russas têm cursos de qualidade e uma total estrutura física e pedagógica para receber alunos estrangeiros. O curso de Medicina em russo custa cerca de US$ 2,7 mil por ano, e as turmas reúnem, no máximo, 12 alunos, o que permite aos professores uma dedicação maior”, avalia Carolina.

Outra vantagem apontada pela diretora é a elevada carga horária, que pode facilitar a validação do diploma no Brasil. “A carga horária na Rússia é, no mínimo, 20% maior do que a de universidades brasileiras. Com isso, o aluno não precisa perder tempo em adaptações, geralmente só precisa apresentar o diploma, o histórico e a ementa das disciplinas.”

Não é necessário saber russo para participar da seleção, já que os alunos freqüentam uma faculdade preparatória durante nove meses. São seis horas diárias de aulas em russo e uma introdução às disciplinas e termos técnicos relacionados ao curso escolhido.

Mais do que o histórico escolar, o perfil do aluno é o principal fator levado em conta na hora da seleção. “Não adianta nada ter ótimas notas se o aluno não se adaptar. O candidato à vaga deve ser independente e ter um objetivo claro. Uma das maiores dificuldades que os brasileiros enfrentam é a saudade”, diz a diretora da Aliança Russa.

Para minimizar o problema, as vagas são abertas apenas em faculdades onde já existem brasileiros estudando. “Os alunos que já estão lá acompanham os que chegam. É muito raro um estudante brasileiro desistir. Eles aprendem muito rápido o idioma porque falam muito e fazem amizade fácil”, diz Carolina Tellez.

Os interessados em participar do processo seletivo podem procurar a Aliança Russa de Ensino Superior até 15 de agosto. Mais informações pelo telefone (11) 3854-2515 ou nos sites www.aliancarussa.com.br e www.medicinarussia.com.br.