As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

“Unicamp é desumana”, diz vestibulanda

Redação

10 Janeiro 2010 | 13h37

No câmpus da Unip do Paraíso, na zona sul de São Paulo, os portões já foram abertos para o Vestibular Unicamp 2010. A maioria dos vestibulandos, no entanto, ainda aguarda do lado de fora jogando conversa fora ou revisando a matéria para as provas de língua portuguesa e biologia.

Natalia Gregório, 22 anos, que deseja uma vaga em Economia, teme o primeiro dia da 2ª fase do vestibular da Unicamp. Para ela, as questões são complexas e há pouco tempo para resolvê-las. “É desumano”, diz ela, que passou também para segunda fase da Unesp e da USP, mas em Direito, sua primeira opção.

Ana Carolina Dinucci, de 20 anos, candidata a Medicina, passou para a 2ª fase das três estaduais em São Paulo, USP, Unicamp e Unesp. A estudante conta que está cansada de tanto estudar e fazer provas. “Na verdade, não sei dizer se estou nervosa ou tranquila. Acho que estou em ponto morto desde a Fuvest”, brinca.

O que dá à Ana Carolina certa tranquilidade para a prova de hoje é já ter ingressado na Famema (Faculdade de Medicina de Marília). “Hoje, para mim, o dificil é português.”

Fernanda Leme, de 18, por outro lado, aposta todas as fichas em português. Candidata a uma vaga em Arquitetura, ela revela temer biologia. “Não estudei nada dessa matéria o ano todo, estou insegura”, diz. Fernanda achou bom comer um sanduíche enorme para ganhar energia extra para enfrentar o exame.