As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Trânsito complica vida de vestibulando na Água Branca

Redação Estadão.edu

17 Novembro 2013 | 13h52

Luciano Bottini

Na Unip Água Branca, zona oeste de São Paulo, vestibulandos que prestam a Unesp já começaram a entrar no prédio. Os portões fecham às 14 horas. Devido ao congestionamento na Avenida Marques de São Vicente, muitos inscritos estão saltando dos carros entre 500 metros e 1 km antes do local de prova e seguindo a pé.

Gabriela de Castro Scaranto, de 18 anos, se inscreveu para Medicina. Ela mora no Ipiranga, Zona Sul, e levou 1h30 para chegar o local de prova. A vestibulanda foi de metrô até a estação Vila Prudente, depois pegou carona com uma amiga. “Tive que deixar o carro a 1,5 km de distância. Eu tento chegar sempre uma hora antes da prova”, contou. Neste ano Gabriela se inscreveu para dez vestibulares.

Juliana Silva, de 17 anos, que também concorre para Medicina, saiu do Butantã, zona oeste, e levou duas horas para chegar ao local de prova. “Enfrentei bastante trânsito”, diz ela, caminhando pela calçada depois de saltar do carro.