As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Química inovou na roupagem das questões; tempo foi curto

Redação

11 Janeiro 2010 | 20h01

História e química foram as vilãs, na avaliação dos professores do Anglo e do Etapa sobre o segundo dia da 2ª fase da Unicamp.

Entre os destaques no grau de dificuldade, estava a questão 17 de história. O vestibulando tinha de explicar como aspectos geográficos, como correntes marítimas, influenciaram a colonização do Brasil.

“Isso não é fácil para o aluno do ensino médio”, diz José Carlos Pires de Moura, professor de história do Anglo. “Tem que saber até sobre navegação a vela.”

A reclamação dos professores foi menos em relação à dificuldade e mais sobre o tempo de prova: 24 questões na prática (12 em cada matéria, com dois itens cada) e apenas quatro horas para resolvê-las.

“Foi trabalhosa a prova de química”, disse Édison Camargo, professor da disciplina no Etapa. Equilíbrios químicos, termoquímica, polímeros foram alguns dos temas que caíram.

A Unicamp, segundo os professores consultados, inovou ao colocá-los numa roupagam jornalística. As questões toda vieram de matérias publicadas na revista da Fapesp (Fundação do Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo).

Amanhã, os estudantes têm provas de física e geografia, às 14h. Os portões fecham às 13h45.

O resultado só sai no dia 4 de fevereiro. Mas, se a ansiedade for muita, vá conferindo no site da Comvest, informações sobre matrícula.