As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Segunda fase do 7º Exame da Ordem Unificado teve seu grau de dificuldade avaliado como ‘mediano’ por professores

Redação

08 Julho 2012 | 20h33

Cerca de 46 mil estudantes e bacharéis em Direito fizeram neste domingo, 8, a segunda fase do 7º Exame da Ordem Unificado. Nesta etapa, de caráter prático-profissional, os candidatos tiveram de redigir uma peça jurídica e responder a quatro questões discursivas sobre a área do direito em que pretende atuar.

Professores ouvidos pelo Estadão.edu avaliaram o nível de dificuldade do exame como mediano. “A prova foi bem elaborada, não teve pegadinhas e acabou tratando de assuntos corriqueiros à atuação dos advogados em suas respectivas áreas”, diz Marcelo Tadeu Cometi, coordenador da coleção OAB Nacional, publicada pela editora Saraiva. “Fugiu à regra apenas a prova de Direito Penal, que pediu uma peça na qual o candidato teve de se colocar no papel de um assistente de acusação”, diz. “Nesse caso, ao invés de defender – prática usual do advogado-, ele teve de acusar.”

Para o professor Nestor Távora, coordenador pedagógico de OAB pela rede FLG, o ineditismo pode ter trazido dificuldade aos estudantes. “Em uma avaliação com o nível de tensão tal como é o da OAB, qualquer ponto que foge daquilo que tem sido trabalhado e estudado, é visto como difícil, mesmo que não trate de uma questão complexa”, diz.

Resultados

A divulgação do padrão de resposta da prova prático-profissional deve ocorrer no dia 24 de julho. O resultado preliminar do exame deve ser publicado no dia 27 de julho, e o resultado final deve sair em 14 de agosto. Mais de 111 mil candidatos todo o Brasil estavam inscritos para a prova de primeira fase.

Mais conteúdo sobre:

Exame da OABOAB