As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Prova de biologia é extensa; literatura dá trabalho também

Redação

10 Janeiro 2010 | 19h37

Na avaliação dos professores de cursinhos, o primeiro dia da 2ª fase do Vestibular Unicamp 2010 foi exigente em biologia. Com 12 questões, cada uma com dois itens, a prova foi trabalhosa e longa mesmo para os vestibulandos mais preparados.

“A maioria não consegue fazer. Quem fez três quartos da prova sai muito feliz de lá”, diz Constantino Carnelos, professor de biologia do Objetivo.

Edson Futema, do cursinho da Poli, concorda: “O nível de exigência foi alto pensando que o aluno tem que administrar o tempo”.

Na contramão, vai o professor Ângelo Pavone, coordenador de biologia do Etapa. “Sempre tem choradeira depois da prova da Unicamp. Em anos anteriores a prova tinha ainda mais itens”, brinca. Para ele, a prova é bem feita. “Como um item é fácil e outro difícil, a universidade consegue discriminar bem seus candidatos.”

A prova foi abrangente: evolução, botânica, bactérias, ecologia, zoologia. Quase todo o conteúdo do ensino médio foi cobrado.

Já na prova de português, os professores ficaram surpresos com a riqueza de detalhes pedida nas perguntas de literatura. Não bastava o aluno ter frequentado as aulas ou lido os resumos. “Para acertar, o vestibulando tinha que ter realmente lido os livros, com atenção”, afirmou o professor Claudio Rosa, do cursinho da Poli.

Uma das questões consideradas mais polêmicas pelos vestibulandos ouvidos pelo Estadão.edu na unidade da Unip no Paraíso, zona sul de São Paulo, não foi tida como difícil pelos professores. Os candidatos tinham que associar a expulsão de Adão e Eva do paraíso aos personagens Iracema e Martim (de “Iracema”) e apontar quem seria o redentor na história de José de Alencar.

“Não era necessário conhecer a Bíblia. Vai além de questão religiosa, é um dado cultural que os alunos devem saber”, afirmou Nelson Dutra, professor do Objetivo.

Celia Passoni, coordenadora de português do Etapa, lembra que essa relação entre o mito da expulsão do paraíso e o sofrimento de Iracema foi dada em sala de aula. “Ela, Iracema, transgride, peca. Tem que sofrer, por isso ela morre. O mesmo ocorre com Adão e Eva.”

“Não foi difícil a prova. Apenas um pouquinho trabalhosa, principalmente na parte de literatura.”

Amanhã, os alunos fazem as provas de química e história.