As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Professores do Curso Objetivo comentam a prova

Redação

22 Outubro 2011 | 19h33

Considerada como cansativa pela maioria dos candidatos, a prova do Enem foi avaliada pelos professores do Curso Objetivo como trabalhosa, porém bem elaborada. Na opinião dos professores consultados pelo Estado, as questões estavam com níveis de dificuldades equilibrados, misturando os conhecimentos específicos com interpretação de textos e informações de atualidades.

“Ao contrário das edições anteriores, este ano o Enem teve um perfil mais objetivo e menos interpretativo, o que reforça a tendência de validar o exame como um vestibular, no sentido de averiguar os conteúdos de forma mais objetiva e aprofundada, aliando aos  acontecimentos cotidianos”, avaliou o professor de biologia, Constantino Carnelos. Na disciplina, o professor destacou as temáticas trabalhadas, que alternavam temas de saúde, meio ambiente e curiosidades.

A objetividade do exame também foi destaca nas áreas de química e física. Segundo o professor Alessandro Nery, de química, a prova tinha questões “muito próximas aos vestibulares tradicionais.” Para ele, a prova tinha questões de cálculo junto com questões de interpretação de conceitos de química aliados a fenomênos. “Foi uma prova trabalhosa, que exigia muita concentração dos alunos, tinha que ler e relacionar com os conceitos trabalhados em sala de aula”, afirmou.

Na área de Ciências Humanas, a prova seguiu essa tendência. Na opinião de Egberto Rodrigues, professor de história, o Enem perdeu seu caráter de avaliação do ensino. “Com com o processo de evolução, tende a ser uma prova de seleção e perde um pouco o sentido de averiguar os conhecimentos do aluno do ensino médio.”

Nas questões da disciplina, o professor destacou que houve imprecisão e preciosismo em algumas questões, embora o nível geral das perguntas seja classificado como mediano. “Os estudantes tinham que identificar em uma foto que um casal de afrodescendentes não eram mais escravos pois estavam com sapatos. Isso é um detalhe que prejudica a obtenção da resposta por parte do aluno”, afirmou.

O meio ambiente foi uma temática utilizada em diversas provas, como destacou Tom Carvalho, professor de geografia. Segundo ele, somente na sua disciplina, 14 das 22 questões continham alguma relação com a sustentabilidade. “As questões ligavam os aspectos físicos e geográficos com a vertente ambiental, com foco nas atualidades mas dentro do conhecimento esperado dos alunos”, disse.