As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Pneu fura e candidato quase perde prova em Sorocaba

Redação

08 Janeiro 2012 | 14h23

* Por José Maria Tomazela

SOROCABA – Um pneu furado quase impediu que o estudante Igor Fernando de Arruda Alves, de 18 anos, chegasse a tempo de fazer a primeira prova da segunda fase da Fuvest, em Sorocaba. Ele entrou quando o portão da Unip estava sendo fechado.

Igor, que concorre a uma vaga em Meteorologia, saiu logo cedo de Conchas, a 105 km de Sorocaba, e estava próximo do local da prova quando um pneu do carro furou. “Perdemos 20 minutos na troca e cada minuto que passava era um desespero”, contou o pai, o fiscal sanitário Agnaldo Alves. O pneu era novo, segundo ele, mas pegou um prego. “Se ele não conseguisse entrar, a gente não ia se perdoar por não ter saído mais cedo.”

Não houve retardatários no único local de provas de Sorocaba, que tem 722 inscritos. Gabriele dos Santos, de 18, foi uma das primeiras a chegar e, enquanto os portões não abriam, mexia no celular. “Estou nervosa, mas preparada”, disse. Candidata a uma vaga em Biologia, Gabriele acreditava que não teria dificuldade nas questões de português. “É a matéria em que fui melhor na primeira fase.”

João Mário Secol, de 18, candidato de Medicina, estava tranquilo para encarar a redação. “Acho que geografia será mais difícil que a prova de hoje.”

Minutos antes de fechar o portão, a mãe do estudante Rodrigo Hideki Kido Narita, que concorre a Engenharia na Poli, tentou entrar para entregar um relógio ao filho, mas não teve autorização. Ela argumentou que o filho já estava sem celular e precisava do relógio para calcular o tempo de prova. Os coordenadores alegaram que o tempo da prova é informado na sala.

Mais conteúdo sobre:

fuvestfuvest 2012Sorocabavestibular