As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Para coordenador do Etapa prova foi mais simples que a Fuvest 2010; ‘quem sabe as notas de corte subam um pouco’, acredita

Redação

28 Novembro 2010 | 20h15

“O que eu vi foi uma prova muito bem feita, muito madura e consolidada. Um exame adequado, abrangente, com um bom nível de avaliação”. Esta é a opinião do professor Edmilson Motta, coordenador geral do cursinho Etapa, que avaliou a primeira fase da Fuvest como positiva.

Ele aponta que comparado com 2009 foi um pouco mais simples. “Quem sabe as notas de corte sejam um pouquinho mais altas este ano”, hipotetiza.

De acordo com ele, a grande novidade da prova este ano “é o estilo das questões interdisciplinares”. Ele percebeu uma maior interdiscplinaridade em uma mesma questão, em comparação com anos anteriores. “Até 2008 tinha uma só disciplina predominante e umas perguntas de outras matérias ‘temperando’, era mais superficial. Agora tem varias disciplinas em diversas afirmações”, declara.

No geral ele afirma que o exame foi mais simples do que a última edição, exceto as disciplinas de história e inglês. “História teve textos com mais complexidade do que os usuais do ensino médio, como por exemplo Evolução Política do Brasil, de Caio Prado Junior, muito utilizado em universidades, mas não no ensino médio”. O aluno não precisa conhecer a obra para abordar a questão, mas ela já aumenta o nível técnico e a profundidade do tema.

Em inglês a prova estava mais difícil, pois os professores comentam que nos últimos anos vinha ficando muito simples. “O formato ainda é o antigo, com textos em inglês e enunciado e alternativas em português”, ressalta.

Nos domínios da interdisciplinaridade. Ele diz que a questão 4 da prova V consegue interlaçar português e matemática. “Este ano foi interdisciplinar de fato”, acredita. 

Ele conta que em 2009 tinham prometido uma prova menos exigente em contas e mais conceitual. “Este ano foi bem mais esclarecido. Em química houve uma prova mais conceitual,  com complexidade média, que realmente avaliam bem em toda sua abrangência o que o aluno estuda no ensino médio”.