As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Obama, crise e petróleo caem no último dia da Fuvest

Redação

05 Janeiro 2010 | 15h54

Barack Obama e crise econômica, petróleo e Era Vargas foram alguns dos temas da terceira e última prova da 2ª fase da Fuvest. As questões faziam parte dos exames de história e geografia – as disciplinas exigidas hoje variaram de acordo com o curso escolhido.

Marcelo Torquato de Caires, de 17 anos, um dos primeiros a deixar a Faculdade de Educação da USP, por volta de 15h, achou a prova fácil. “Eu sabia o que escrever em todas as questões”, disse o estudante, candidato a uma vaga em História. Caires teve de fazer seis questões de história e outras seis de geografia.

A questão sobre Barack Obama pedia que o candidato escrevesse sobre as causas da crise econômica enfrentada por seu governo e a comparasse com a enfrentada pelo ex-presidente americano Franklin Roosevelt, a partir de 1929. O contexto econômico e social também foi abordado numa questão sobre a Era Vargas. Em geografia, uma questão pedia explicações sobre o fato de o Brasil ser autossuficiente em petróleo e, mesmo assim, ainda precisar recorrer a importações.

A vestibulanda de Nutrição Nathalia Caldas, de 18 anos, fez hoje apenas provas de química e biologia. Para ela, este último dia foi muito mais difícil que os outros dois. “Química me pegou bonito”, disse Nathalia, que não chegou a terminar o exame dessa disciplina. Uma das questões que ela considerou mais difícil foi sobre química orgânica.

Já em biologia, Nathalia acredita ter ido melhor. “Não foi difícil, caiu genética, ecologia e uma pergunta para comparar vegetações da África e do Brasil”, diz. “Tive que decidir em qual prova focava, então reforcei biologia.”

Para Lucas Belchior, de 18 anos, a prova de hoje foi fácil – com exceção do exame de física. Candidato a uma vaga no curso de Esporte, Belchior teve de fazer questões de física, biologia e história. “Física foi muito difícil, como ontem.”

Bruna Bianchi, de 21 anos, discorda. Ela achou o exame de física tranquilo. A estudante teve dificuldade mesmo em matemática – exatamente a carreira para a qual se candidatou. “As questões tinham enunciados com muito texto e poucos números.”