As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Nota de treineiros subiu porque ‘piratas’ foram bloqueados, diz Fuvest

Redação

12 de dezembro de 2011 | 16h40

* Por Cedê Silva, especial para o Estadão.edu

Giovanna, que agora está no 3º ano do ensino médio, já passou duas vezes na Fuvest - Andre Lessa/AE

Foto: André Lessa/AE. Giovanna, do Colégio Bandeirantes, foi treineira ‘pirata’ na Fuvest duas vezes

O sistema de inscrições inagurado este ano bloqueou os ‘treineiros piratas‘ (os candidatos do 1º ou 2º ano do Ensino Médio que se inscrevem como formandos), garante o professor José Coelho Sobrinho, coordenador de comunicação da Fuvest. “Isso trouxe candidatos de bom nível para as vagas de treineiros [reais]“, disse ele.

Na última Fuvest havia 479 “piratas” entre os 10.652 aprovados na primeira chamada, o que exigiu a divulgação de listas mais extensas.

A nota de corte nas três carreiras de treineiros subiu este ano: seis pontos em Humanas e Biológicas (para 50 e 49, respectivamente) e cinco pontos em Exatas (para 52). Nos cursos regulares mais concorridos, o aumento na nota de corte foi menor: três pontos em Medicina e em Engenharia Aeronáutica (São Carlos), e quatro em Ciências Médicas (Ribeirão Preto). A nota de corte de Engenharia Civil (São Carlos), porém, também subiu seis pontos (de 57 para 63).

Leia mais sobre treineiros piratas.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: