As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Namoro de portão

Redação

23 Outubro 2011 | 13h05

* Por Cedê Silva, especial para o Estadão.edu

SÃO PAULO – O destino e a ordem alfabética permitem a alguns casais de namorados passar juntos os últimos minutos antes da prova do Enem. E, mesmo quando as letras não ajudam, há quem dê um jeito de ficar abraçado até o fim.

Além dos namorados Gustavo Willian e Giulia Grecco, outros casais aguardavam o início do exame na calçada do câmpus da Unip Paraíso, zona sul. Fábio Farias Henrique, de 19 anos, e Gabriela Gonçalves Lopes, de 17, estavam sintonizados tanto no palpite para o tema da redação quanto na estratégia para a prova. Os dois vão fazer as redações antes das 90 questões objetivas e apostam em algo relacionado ao feminismo ou ao fato de uma mulher ocupar a Presidência da República.

“Achei a prova de ontem boa, mas um pouco difícil”, disse Fábio, que pretende conseguir bolsa do ProUni para cursar Engenharia numa faculdade particular.

Gabriela está fazendo o Enem apenas como treinamento. Ela já admite que será necessário fazer cursinho no ano que vem. A estudante também pretende vaga em Engenharia, no Instituto Mauá de Tecnologia ou na Unicamp.

Juliana Roberta e Iargo Tessaro, ambos de 16 anos, têm objetivos diferentes no Enem. Ela, já no 3.º ano do Colégio Etapa, está fazendo o Enem pela segunda vez e mira uma vaga em Medicina na Unifesp. Diz que não vai fazer a redação hoje, porque, segundo ela, a Unifesp faz prova própria de redação no seu vestibular.

Já Iargo está no 2.º ano do mesmo colégio e faz o Enem como treineiro pela segunda vez. “Achei a prova de ontem melhor que a do ano passado, mais equilibrada.” Mas a verdade é que, apesar da proximidade entre o ‘I’ e o ‘J’, Iargo vai fazer a prova no câmpus da FMU. Mesmo assim, só se despediu da namorada por volta das 12h30.