As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Inscrições para o Fies estão abertas; veja como participar

Programa oferece 150 mil financiamentos em instituições de ensino privadas e prioriza cursos de engenharias, formação de professores e áreas de saúde

Redação Estadão.edu

07 Fevereiro 2017 | 08h15

Atualizado às 12h

BRASÍLIA – O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) abriu nesta terça-feira, 7, ao meio-dia, as inscrições para os estudantes que querem pleitear financiamento em cursos de instituições privadas de ensino superior. O prazo para inscrição se encerra na sexta-feira, 10.

Os candidatos interessados em participar do Fies precisam ter renda familiar bruta por pessoa de até três salários mínimos (Foto: Divulgação)

Os candidatos interessados em participar do Fies precisam ter renda familiar bruta por pessoa de até três salários mínimos (Foto: Divulgação)

Para concorrer a uma das vagas, é preciso acessar o site do programa. Ao todo, o Ministério da Educação (MEC) oferece 150 mil financiamentos.

O Fies oferece financiamento a estudantes em cursos de instituições privadas de ensino superior. A taxa efetiva de juros do programa é de 6,5% ao ano. O porcentual de financiamento é definido de acordo com o comprometimento da renda familiar mensal bruta per capita do estudante. O candidato deve ter renda familiar mensal de até três salários mínimos por pessoa.

A oferta de vagas do Fies dá prioridade aos cursos de engenharias, formação de professores e áreas de saúde. Além das áreas prioritárias, o programa valoriza os cursos com melhores índices de qualidade em avaliações do MEC.

Para participar, é preciso ter tirado pelo menos 450 pontos na média das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e não ter zerado a redação.

Teto. Nesta segunda-feira, 6, o ministro da Educação, Mendonça Filho, anunciou redução de 29% no Fies. Segundo ele, o MEC vai diminuir o teto global de financiamento por curso de R$ 42 mil para R$ 30 mil por semestre letivo. Com isso, cada aluno poderá receber no máximo um auxílio de R$ 5 mil por mês – o teto anterior era de R$ 7 mil.

A medida vale para contratos celebrados a partir desta terça-feira. Mendonça assegurou que os contratos vigentes não serão afetados. Atualmente, cerca de 1,5 milhão de estudantes são beneficiados em cursos de graduação de universidades e faculdades particulares.

A implementação do teto, com base em lei sancionada pelo presidente Michel Temer em dezembro, faz parte da reestruturação do Fies. De acordo com o ministro, outras mudanças serão anunciadas até o fim do próximo mês, com objetivo de tornar o programa “mais sustentável”. /COM INFORMAÇÕES DE MARIANA TOKARNIA, DA AGÊNCIA BRASIL

Mais conteúdo sobre:

Fiesensino superiorFinanciamento