Fiap, a primeira parceira da Singularity
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Fiap, a primeira parceira da Singularity

Carolina Stanisci

17 Março 2010 | 11h16

Ontem, na Fiap (Faculdade de Tecnologia e Informação), foi batido o martelo da parceria entre a Singularity University (SU) e a faculdade brasileira.

Os estudantes da Fiap terão o privilégio de ter palestras, esta semana, com nada menos do que o astronauta Dan Barry, professor de robótica da SU, e de poder conversar com o diretor-executivo da SU, Salim Ismail.

Ismail, diretor da Singularity University; ao fundo, imagem dos fundadores da SU

Ismail, diretor da Singularity University; ao fundo, imagem dos fundadores da SU

Na coletiva, Ismail mostrou uma foto de um ano e meio atrás, em que apareciam os fundadores da escola, e mencionou seus brilhantes currículos: altos executivos do Google  e ganhadores de prêmio Nobel estão entre eles.

A parceria entre a SU e a Fiap – a primeira parceria em todo o mundo da SU – possibilitará aos alunos ou ex-alunos da Fiap concorrer a uma vaga no próximo curso da SU – sem pagar nada. E ficar hospedados nas dependências da Nasa – o que, convenhamos, deve ser uma das partes mais interessantes da história toda.

Como adiantamos aqui no blog, os cursos da SU, apesar de curtinhos, são caríssimos (US$ 15 mil por 9 dias e US$ 25 mil por 9 semanas de curso de verão – verão lá, pois as aulas começam em 19 de junho e terminam em 28 de agosto).

Para ganhar o curso de verão, os estudantes ou ex-alunos da Fiap terão que fazer uma proposta de um projeto tecnológico que impacte 1 milhão de brasileiros. Bem parecida com a proposta do curso de verão da SU, em que o estudante, ao final, tem que fazer um projeto mais impactante ainda: tem que mexer com a vida de 1 bilhão de pessoas mundo afora.

Se você não for aluno ou ex-aluno da Fiap, pode tentar pedir bolsa. A direção da SU explicou ontem o perfil que quer de seus estudantes:

1) os melhores da classe na faculdade

2) empreendedores

3) que queiram arranjar soluções para problemas globais

Que tal, quer se arriscar? A média de idade dos estudantes do primeiro curso de verão, realizado ano passado, foi 31 anos.

Veja como fazer a inscrição no site da SU.