As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Estado’ vence o 12º prêmio Embratel

Redação

11 Novembro 2010 | 11h09

O Estado foi o grande vencedor do 12.º Prêmio Imprensa Embratel, anunciado ontem em cerimônia no Rio. A reportagem “Senado usou 300 atos secretos para beneficiar amigos”, escrita por Rodrigo Rangel, Rosa Costa e Leandro Colon, ganhou o Grande Prêmio Barbosa Lima Sobrinho, a maior premiação do evento. A matéria “Prova do Enem vaza e ministério anuncia cancelamento do exame”, de Renata Cafardo e Sergio Pompeu, venceu na categoria Jornal e Revista.

Também foi finalista da categoria Jornal e Revista outro texto do Estado, Curió abre arquivo e revela que Exército executou 41 no Araguaia, de Leonencio Nossa. Podiam concorrer aos prêmios jornalistas de todo o País, com reportagens publicadas entre junho de 2009 e maio de 2010, em todas as mídias (rádio, TV, jornal, revista e internet).

A reportagem que mostrou a existência dos atos secretos do Senado e os benefícios ilegais patrocinados pelo presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), já havia ganhado o Prêmio Esso de Reportagem, a principal premiação do jornalismo brasileiro, e o prêmio de investigação jornalística na América Latina do Instituto Prensa y Sociedad (Ipys) e da organização Transparency International.

Em 22 de julho de 2009, o jornal publicou trechos de gravações da Polícia Federal, feitas com autorização da Justiça, em que Sarney conversa com o filho Fernando Sarney – que conseguiu liminar proibindo o Estado de dar informações sobre a Operação Boi Barrica. O jornal está sob censura há 468 dias.

O texto que revelou a fraude no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2009 venceu na categoria Jornal Impresso do Prêmio Ayrton Senna de Jornalismo e é um dos três finalistas do Prêmio Esso de Reportagem 2010. Após a divulgação do vazamento pelo Estado, o Ministério da Educação cancelou o Enem, afetando 4,1 milhões de candidatos em todo o País.