‘Estado’ lança ‘Guia de Cursos de MBA’
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Estado’ lança ‘Guia de Cursos de MBA’

Foram analisadas mais de mil opções de turmas, distribuídas por todo o Brasil; é a primeira publicação do gênero no mercado

Redação Estadão.edu

25 Abril 2016 | 07h20

SÃO PAULO – O Estado lança nesta sexta-feira, 29, o Guia de Cursos de MBA (Master of Business Administration), que analisou mais de mil opções oferecidas em todas as regiões do Brasil. Primeira do gênero no mercado, a publicação tem o objetivo de ajudar os interessados a escolher o MBA mais adequado ao seu perfil.

Responsável pela iniciativa, o diretor de Projetos Especiais do Estado, Ernesto Bernardes, afirma que hoje as pessoas não encontram no mercado boas ferramentas para auxiliá-las a fazer a melhor escolha. “O Guia que fizemos será essa ferramenta. Queremos abrir os olhos dos estudantes para alguns critérios importantes.”

MBA

O ‘Guia’ será um orientador para as instituições compreenderem e compararem seus cursos com o que é oferecido no mercado (Foto: Divulgação)

Segundo Armando Colletto, consultor do Guia e ex-diretor executivo da Associação Nacional de MBA (Anamba), diante da quantidade e da diversidade de cursos disponíveis, é difícil pinçar qual está alinhado aos interesses do candidato. “Hoje, temos no Brasil uma oferta muito grande de cursos de MBA e o estudante tem dificuldade de saber quais deles valem o investimento e qual é o mais adequado para a finalidade que ele busca. Este será o primeiro guia do País a apresentar todas as informações mais importantes dos cursos em apenas um lugar.”

Colletto explica que uma pessoa que procura um MBA, por exemplo, para fazer contatos e trocar experiências com CEOs e diretores de grandes empresas, não conseguirá atender às expectativas se investir em um curso cujo processo seletivo não seja voltado para selecionar esse público.

Critérios. No Guia, os cursos foram divididos em três grupos: MBA clássico, especializado (com foco em 18 áreas específicas do mercado de trabalho) e internacional. Para avaliá-los, sete critérios foram estabelecidos: carga horária, currículo, vivência internacional, processo seletivo, selos de qualidade, networking e presença em rankings.

Depois, cada curso foi avaliado segundo os parâmetros definidos, conforme as informações fornecidas pelas instituições, e para cada quesito foi dada uma nota. “O Guia mostra em qual critério o curso está mais focado e como é visto pelo mercado. Serve como um redutor de riscos para o estudante, uma vez que mesmo os MBAs mais baratos exigem um investimento de, no mínimo, R$ 15 mil”, afirma Colletto.

Ainda segundo o consultor, o Guia também será um orientador para as instituições compreenderem e compararem seus cursos com o que é oferecido no mercado. “O MBA no Brasil ainda é muito recente, começou na década de 1990 a aparecer por aqui. Nos Estados Unidos e na Europa, existe há mais de cem anos e é uma área mais consolidada. Por isso, é importante que as escolas brasileiras entendam melhor seus cursos, sejam mais competitivas e atendam aos anseios dos alunos.”

Mais conteúdo sobre:

educaçãoensino superiormba