As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Em carta aberta, CA da FEA pede segurança na Cidade Universitária

Redação

19 Maio 2011 | 10h08

O Centro Acadêmico da FEA-USP distribuiu uma carta aberta na manhã desta quinta-feira em que informa aos estudantes sobre a morte do aluno Felipe Ramos de Paiva e cobra soluções para a falta de segurança no câmpus do Butantã, na zona oeste da capital.

Leia a íntegra

“CARTA ABERTA AOS ALUNOS DA FEA USP

É com grande pesar que o Centro Acadêmico Visconde de Cairu entrega essa carta aos alunos.

No dia de ontem, uma tragédia se abateu sobre a comunidade de nossa faculdade. O falecimento do estudante Felipe Ramos de Paiva, aluno do quinto ano do curso de Ciências Atuariais, chocou a todos aqueles que diariamente freqüentam o campus Butantã. Não há palavras que possam reconfortar aqueles que perderam um colega, um amigo, um filho, um ente querido. Dessa forma, diante de tão triste situação, oferecemos nossa humilde solidariedade a todos os que sofrem nesse momento.

Hoje é um dia de luto e homenagem. Perda, respeito e indignação permeiam nossos sentimentos.

Os casos de violência na USP, como sabemos, têm se tornado uma triste constante. Nos últimos meses, seqüestros, assaltos e furtos passaram a preocupar alunos, professores e funcionários. A perda de nosso colega estudante, portanto, escancara de maneira lamentável a necessidade de se debater a segurança no cotidiano universitário.

De forma pragmática e urgente, mesmo em um momento anterior a esse debate, já é possível apontar problemas de solução óbvia e imediata que já poderiam ter sido sanados. Um primeiro ponto diz respeito à falta de iluminação adequada não só nos arredores da FEA, mas em todo o campus. Também há falta de vigilantes no perímetro das unidades. Os reais problemas de segurança na Universidade de São Paulo, enfim, precisam ser corretamente diagnosticados.

Ouviremos os alunos, falaremos com a diretoria de nossa faculdade e agiremos para que a dor que hoje sentimos altere a forma como a questão da segurança é tratada.

Centro Acadêmico Visconde de Cairu”