Diversão na ‘Sleepless University’
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Diversão na ‘Sleepless University’

Carolina Stanisci

20 Julho 2010 | 15h19

 vinheta - fabio teixeira - pontoedu

 

Quando me disseram que a Singularity University era conhecida como “The Sleepless University” (universidade insone), preparei-me para encontrar muito conteúdo para explorar. O que eu não sabia é que, mesmo com tantas palestras, wokshops e até reuniões durante o almoço, haveria diversão por aqui.

O laboratório de inovação é uma sala de brinquedos que todo cientista gostaria de ter em casa. Lá, tem vários kits de Lego Mindstorms, que é um conjunto de peças para montar robôs programáveis nas horas de lazer.

Tem até o Fiap Challenge: a galera da Fiap desenvolveu um código para sincronizar robôs autônomos e mandou esse material para cá. O Andy Barry, especialista em robótica, está tomando conta do projeto. O pessoal da Singularity quer desenvolver um código que permita ir além do que a Fiap já criou.

Nesse mesmo laboratório, temos a chance de nos divertir com o scanner facial e a impressora 3D (já comentei no post passado sobre isso, lembra?). Temos também jogos de lógica…Por exemplo, um desafio para encontrar um padrão em uma determinada sequência de pontos coloridos.

 

IMG_8321

 

Também temos na programação alguns passeios para integração da turma. Dizem que as ideias fluem melhor quando o cérebro não está tão atarefado. Já almoçamos na sede do Google, conhecemos o edifício onde o Facebook surgiu e visitamos uma casa cujos moradores são funcionários da Nasa, do Google e alunos do GSP 09.

Eles chamam a morada de Rainbow Mansion, um lugar que se parece muito com o laboratório de inovação: cheio de computadores em todos os lugares da casa, mas não deixa de ser uma mansão no Vale do Silício…com certeza um lugar legal para morar!

 Leia mais:

Inteligência artificial, polvos e robôs
Explorando o espaço: mais uma aula na SU

Legenda: Fabio e o colega de curso Vincent Daranyi, na sede do Google, na Califórnia
Crédito: divulgação