As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Direito GV e Instituto ProBono em parceria

Redação

04 Setembro 2009 | 16h49

Por Elida Oliveira

Alunos do 1° ao 4° ano da Fundação Getúlio Vargas poderão, a partir de hoje, doar ao Instituto ProBono um pouco do conhecimento e do tempo de que dispõem. A entidade sem fins lucrativos fomenta, desde 2001, a advocacia solidária e a responsabilidade social no Direito. Na parceria com a Fundação, os alunos terão contato com demandas específicas do terceiro setor e, os advogados voluntários, uma ‘força’ a mais no trabalho.

“Os estudantes vão se envolver em casos sociais e paradigmáticos, que provavelmente não fariam em grandes escritórios”, diz Marcos Fuchs, diretor-Executivo do Instituto ProBono. Como exemplo, ele cita trabalhos envolvendo a investigação de torturas na Fundação Casa, pareceres referentes à população carcerária, à importação de pneus, às cotas em universidades e até ao uso de células-tronco.

O Instituto ProBono é uma iniciativa pioneira no Brasil que tem como objetivo atender a demandas jurídicas de organizações da sociedade civil, contando com a colaboração de advogados voluntários para promover o acesso à justiça. O Instituto conta hoje com 30 escritórios cadastrados, e mais de 450 advogados individuais que já atenderam 400 entidades em oito anos de voluntariado.

A Faculdade de Direito da GV tem perfil empresarial e os alunos que buscam o curso já pretendem direcionar a carreira para grandes escritórios. “Mas acreditamos que uma boa formação envolva responsabilidade social. Os alunos procuram a Escola de Negócios, mas estão abertos para formação diferenciada, com visão ampla da sociedade”, diz Flavia Scabin, coordenadora da Clínica Avina de Negócios Inclusivos da GV, por onde as demandas encaminhadas pela ProBono serão direcionadas aos estudantes voluntários cadastrados.