Chuva faz organização abrir portões mais cedo em SP
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Chuva faz organização abrir portões mais cedo em SP

Redação

10 Janeiro 2012 | 12h25

* Por Cedê Silva, especial para o Estadão.edu

SÃO PAULO – A coordenação da Fuvest na Anhanguera da Avenida Brigadeiro Luís Antônio autorizou a abertura dos portões mais cedo, às 12h17, por conta da chuva. Estudantes aguardavam a liberação da entrada havia pelo menos 30 minutos.
Foto: Daniel Teixeira/AE

O estudante Lucas Santana, de 19 anos, veio de Goiânia e é candidato ao curso de Engenharia Civil. Ele achou tranquilas as questões de Exatas de ontem, mas disse ter se enrolado na pergunta sobre a Primavera Árabe. Ele chutou Arábia Saudita e Iraque como países que sediaram revoltas que marcaram o movimento.

Nas questões de hoje, ele prevê os seguintes temas: campo magnético e física moderna, na prova de física (“Vai ser mais difícil que ontem”); pilhas, eletrólises e calcúlo estequiométrico em química; e propabilidade, função modular e geometria analítica, em matemática.

Aluno do Objetivo, Jayme Casanova Júnior, de 19, tenta pela segunda vez uma vaga no curso de Marketing da USP Leste. “A prova de ontem não exigiu muito além do que a Fuvest normalmente pede, só que cobrou muito literatura”, avaliou Jayme. Ele deixou a questão de literatura, na qual a resposta era Jorge Amado, em branco. Mas teve facilidade na pergunta de física sobre o catavento. Para a prova de matemática de hoje, ele aposta em geometria analítica e números complexos. “Mas a prova da Fuvest é uma caixinha de surpresas, principalmente em matemática e física.”

Gustavo Saito, de 17, também aluno do Objetivo, não teve dificuldades nas questões de literatura. Também pudera: ele é candidato ao curso de Letras. “Achei muito óbvia a questão sobre o Sudão Sul. É uma mudança no quadro geopolitico muito atual, feita para evitar o conflito religioso”, avalia. Para a prova de história de hoje, Gustavo aposta em ciclo do ouro, Getulio Vargas e Revolução Francesa.

Tranquilidade. Faltando dez minutos para o fechamento dos portões, ainda havia estudantes chegando para fazer a prova. Alguns, com tranquilidade, paravam para conferir resoluções comentadas do exame de ontem distribuídas por cursinhos.

* Atualizada às 13h para acrescentar informações no primeiro parágrafo e escrever o intertítulo ‘Tranquilidade’

Mais conteúdo sobre:

Chuvafuvestfuvest 2012vestibular