As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Clima tranquilo e apreensão com tempo de prova

Redação

06 Dezembro 2009 | 13h05

O clima é tranquilo na Uninove, na Barra Funda, neste domingo no horário de fechamento dos portões, ao contrário de ontem, quando centenas de estudantes protestaram por ter perdido o Enem. A pedido da coordenação do Enem no campus, os portões foram abertos mais cedo, às 11h50, disse o funcionário da universidade Gustavo Fortes.
Os candidatos chegaram ao local preocupados com o tempo que terão para fazer a prova (eles precisam entregar os gabaritos das questões de matemática e linguagens e a redação até 18h30). “Ontem já terminei a prova em cima da hora. E hoje vai ser pior, porque tem matemática e redação”, disse Thiago dos Santos, de 19 anos.
“Ontem eu já precisaria de meia hora para conseguir terminar a prova com calma. Hoje vai ser complicado”, disse Lívia Vischi, de 18 anos. “Acho que vou entregar a prova em cima da hora”, disse Midiã Araújo Alves, de 18. “Ontem já terminei perto das cinco horas.”
O Enem está sendo realizado por mais de 4 milhões de estudantes em cerca de 1,8 mil municípios de todo o País. O Ministério da Educação considerou que o exame de sábado transcorreu em clima de “absoluta tranquilidade”, apesar de alunos que chegaram atrasados e foram barrados nos locais de provas terem feito protestos que exigiram a intervenção da polícia em São Paulo, no Rio e em Belo Horizonte. O MEC suspendeu as provas nas cidades de Brejetuba e Itatiba, no Espírito Santo, onde os alunos foram prejudicados pelas enchentes que atingem o Estado. Eles poderão fazer o exame nos dias 5 e 6 de janeiro, mesma data em que as provas serão aplicadas a presidiários.
Segundo o MEC, 25 universidades de todo o País vão utilizar o Enem como fase única para seleção de alunos; 7 usarão o exame como 1.ª fase e outras 7 aceitarão a nota do Enem como parte do processo seletivo.