As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Candidatos a bolsa do ProUni esperam bom desempenho no Enem

Redação

06 Novembro 2010 | 14h52

Para dar musculatura ao Enem, o MEC decidiu que, a partir deste ano, os candidatos a uma bolsa do Programa Universidade para Todos (ProUni) devem participar do exame.

A novidade motivou estudantes como Caroline Mendes, de 18 anos, a fazer as provas, que começaram neste sábado, 5. “Muita gente, como eu, só passou a dar importância ao Enem por causa do ProUni”, diz ela, que quer uma vaga no curso de Relações Internacionais da PUC-SP e está prestando o Enem no câmpus da Uninove da Barra Funda.

Elisa Alves, de 18, concluiu o ensino médio no ano passado, mas não fez o Enem nem outros vestibulares. Moradora de São Miguel Paulista, zona leste, Elisa saiu de casa às 10h30 e demorou duas horas para chegar à Uninove, na zona oeste. Ela tentará uma bolsa para Design de Interiores. “O Enem ficou importante, não é?”

Para Fábio Henrique Ferreira, de 19, quer entrar em alguma federal usando a nota do exame, mas não descarta a possibilidade de tentar uma bolsa do ProUni. O objetivo dele é cursar Hotelaria e Turismo.

Veja os critérios para se candidatar a uma bolsa do ProUni:

Além de ter feito o Enem 2010 e obtido a nota mínima de 400 pontos estabelecida pelo MEC, é preciso que o estudante tenha renda familiar, por pessoa, de até três salários mínimos e satisfaça uma das condições abaixo:

– ter cursado o ensino médio completo em escola pública, OU
– ter cursado o ensino médio completo em escola privada com bolsa integral da instituição, OU
– ter cursado todo o ensino médio parcialmente em escola da rede pública e parcialmente em instituição privada, na condição de bolsista integral da respectiva instituição, OU
– ser pessoa com deficiência, OU
– ser professor da rede pública de ensino básico, no efetivo exercício do magistério da educação básica, integrando o quadro permanente da instituição pública e concorrendo a vagas em cursos de licenciatura, normal superior ou Pedagogia, destinados à formação do magistério da educação básica. Neste caso, a renda familiar por pessoa não é considerada.