Alunos do Humboldt ajudam a divulgar a língua alemã em SP e no mundo
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Alunos do Humboldt ajudam a divulgar a língua alemã em SP e no mundo

Redação

19 Agosto 2010 | 14h01

Por Carlos Lordelo

A língua alemã está dando uma volta ao mundo dentro de uma mala. Isso mesmo: uma bagagem de rodinhas revestida de simbolismo (e de plástico resistente) está percorrendo todos os continentes em uma iniciativa do governo alemão que visa a divulgar a importância do idioma e da cultura germânica. Por cada país que passa, o recipiente ganha colaborações locais que reforçam o objetivo do projeto, chamado Echo 2010.

A mala chegou ao Brasil no início deste mês. A primeira parada foi em Porto Alegre. Ontem, a bagagem foi exposta no Colégio Humboldt, em São Paulo, junto com objetos arrecadados desde o início da viagem. A bolsa saiu de Berlim, no dia 9 de junho, com destino a Johannesburgo, na África do Sul. De lá, seguiu para Xangai, na China, onde foi atração no pavilhão da Alemanha na Expo 2010.

Alunos do Instituto de Formação Profissional Administrativa (IFPA), escola profissionalizante alemã que funciona no Humboldt, depositaram sua contribuição ao projeto numa cerimônia que teve a presença de representantes do consulado alemão em São Paulo, diretores e estudantes do colégio.

Mala foi exposta no Colégio Humboldt

Mala foi exposta no Colégio Humboldt

Cerca de dez alunos do IFPA fizeram um vídeo que mostra a importância de São Paulo para a Alemanha do ponto de vista econômico. “Há mais empresas alemãs aqui do que em qualquer outra cidade da Alemanha”, explica o vice-diretor do instituto, Andreas Bossert. “O filme fala de uma empresa brasileira que vende suco de laranja para a Alemanha e, ao mostrar essa transação, cumprimos com o objetivo de exaltar a importância da língua.”

No vídeo, José Eduardo Carvalho, de 20 anos, dá um depoimento sobre como funciona o IFPA, onde ele estuda Gestão Empresarial. “Ah, e também apareci fazendo um suco de laranja na cantina do colégio”, conta Carvalho, de Guaratinguetá, no interior paulista. “Gostei bastante do resultado, até porque é difícil encontrar alguém que fale alemão aqui no Brasil. Serviu para mostrar nosso trabalho.”

Para Hermann Wolfl Essert, de 21 anos, a iniciativa é importante porque divulga em todo o mundo a cultura germânica. “A Alemanha é um grande país”, resume ele, que é de Guarapuava, no Paraná, “a maior colônia alemã no Brasil”. “Minha primeira língua foi o alemão. Só aprendi o português aos cinco anos”, explica Essert, aluno de Informática no IFPA e estagiário da Volkswagen.

Depois de São Paulo, a mala segue para o Rio e para Recife. No dia 10 de setembro, embarca para os Estados Unidos (Nova York, Los Angeles, São Francisco e talvez Boston). Da América, a bagagem vai para o Japão (Tóquio e Yokohama), Egito (Cairo), Austrália (Melbourne) e Rússia (Nowosibirsk). Desembarca em Berlim somente em dezembro, cheia de história e tíquetes de aeroporto.

Mais conteúdo sobre:

alemanhahumboldt