Alunos da FGV e da USP desenvolvem app para auxiliar escolas e cursinhos
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Alunos da FGV e da USP desenvolvem app para auxiliar escolas e cursinhos

Plataforma disponibiliza mais de 40 mil exercícios e incentiva a interação entre estudantes e professores

Redação Estadão.edu

18 de abril de 2017 | 17h30

SÃO PAULO – Estudantes da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (EAESP/FGV) e do Instituto de Matemática e Estatística da Universidade de São Paulo (IME/USP) desenvolveram um aplicativo com mais de 40 mil exercícios para auxiliar o aprendizado em escolas do ensino médio e cursinhos pré-vestibular.

Foto: Wokandapix/Pixabay

Com interatividade, os desenvolvedores esperam que os estudantes tenham mais interesse pelos conteúdos (Foto: Wokandapix/Pixabay)

De acordo com os criadores do Ducante, além de corrigir os exercícios automaticamente, o aplicativo permite que os estudantes interajam com seus colegas e professores para tirar dúvidas. Já os docentes recebem estatísticas que mostram a evolução de cada aluno e podem, a partir daí, elaborar melhor suas aulas.

A plataforma permite o compartilhamento entre estudantes e professores de conteúdos multimídia, como vídeos e artigos, e conta até com um game.

Gratuita, a ferramenta está disponível para download na App Store e na Google Play a apenas estudantes de escolas e cursinhos parceiros do projeto.

Entre as instituições que já usam o Ducante estão o Cursinho da Poli; o Cursinho da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP (FEA/USP); o Arcadas Vestibulares, ligado à Faculdade de Direito da USP; o Cursinho AtuaMente, da Escola Politécnica da USP de Santos; o Galt, vinculado a Universidade de Brasília (UnB); o Reinspire; e o Cursinho da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da USP (EACH-USP).

Motivação. Segundo os desenvolvedores, a plataforma tem o objetivo de resolver três problemas comuns identificados nas salas de aula: a retenção de conteúdo; a motivação e o engajamento dos estudantes; e a falta de tempo.

“Decidimos criar esse aplicativo para resolver alguns problemas que os cursinhos populares de São Paulo tinham por meio da tecnologia. Logo vimos que a carência de tecnologia na educação era mais generalizada no Brasil inteiro”, disse o estudante Lucas Santos, do grupo responsável pelo desenvolvimento da ferramenta. “Nossa expectativa é de ser o braço digital das escolas e cursinhos, populares ou não.”

O Ducante foi desenvolvido pelos estudantes durante a disciplina de Empreendedorismo Digital, ministrada no segundo semestre do ano passado.

“Os alunos foram capazes de refletir sobre as possibilidades de criação de um modelo de negócio a partir da construção de um protótipo de software funcional”, explicou o professor da FGV Eduardo de Rezende Francisco, um dos coordenadores da disciplina.

Mais informações podem ser obtidas no site do aplicativo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: