As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

A TI aplicada à área médica

Redação

24 Agosto 2010 | 14h57

vinheta-fabio-teixeira-pontoedu

Nesta semana, tivemos a oportunidade de conhecer algumas das maiores inovações tecnológicas voltadas para a área médica. Começamos descobrindo as inúmeras utilidades do Da Vinci, um robô que permite a máxima precisão em uma cirurgia complexa, por meio de um controle remoto manipulado pelo médico-cirurgião, que conta com o auxílio de câmeras 3D em alta definição.

O robô possui braços articulados que simulam os movimentos do médico de maneira mais eficiente e menos invasiva. O preço do brinquedo: de US$ 1,7 a 2,5 milhões. O mais caro com que eu já brinquei!

Visitamos também a Universidade de Stanford. O câmpus é incrível e tem um espaço ao ar livre cheio de esculturas de Auguste Rodin. Lá, conhecemos o prédio da área médica, um edifício inteligente com o sistema tecnológico todo integrado e tivemos contato com um estudo bastante interessante sobre optogenética, uma área bem recente da medicina que combina óptica e genética para determinar circuitos neurais em animais.

Ou seja: os pesquisadores de Stanford pretendem entender mais sobre os segredos do cérebro e como poderão utilizar as leis da óptica para tratar doenças neurodegenerativas e outras patologias, como a epilepsia e a esclerose.

Um exemplo disso pode ser visto neste vídeo, em que cientistas conseguiram controlar os movimentos de um ratinho com uma luz de LED:

Essas pesquisas mais parecem ficção científica. Sensacional!