Universidades pedem revisão de portaria que dificulta acesso ao Fies

Universidades pedem revisão de portaria que dificulta acesso ao Fies

O Semesp entregou nesta quarta-feira, dia 14, ofício ao ministro da Educação, Cid Gomes

Paulo Saldaña

14 Janeiro 2015 | 16h19

As universidades particulares, por meio do Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Ensino Superior no Estado de São Paulo (Semesp), solicitaram ao Ministério da Educação (MEC) revisão das alterações recentes nas regras do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). O Semesp entregou nesta quarta-feira, dia 14, ofício ao ministro Cid Gomes.

A entidade teme que a nota mínima de 450 no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para obter o financiamento possa provocar queda no número de alunos. Segundo estudo realizado pelo Semesp, pela regra anterior o potencial de alunos no Fies era de 57,4% do total de participantes no ENEM, enquanto que pela regra atual esse potencial cai para 16%.

ALUNOS CONTINUAM PARALISAÇÃO NA UNESP

“É uma forma de reduzir drasticamente a inclusão de alunos que mais necessitam de apoio, sem que a medida represente um efetivo ganho de qualidade, que dependerá acima de tudo da melhoria da formação dos alunos no ensino médio”, cita, em nota, o presidente do Semesp, Hermes Ferreira Figueiredo.

Grandes grupos de educação já haviam demonstrado intenção de pressionar o governo pela revisão da novas regras. A medida teve forte impacto negativo sobre as ações das empresas de educação na Bolsa de Valores. Ontem, o ministro defendeu a portaria.

Mais conteúdo sobre:

Cid GomesFiesMEC