Universidades federais preparam novo plano de expansão

Paulo Saldaña

30 Abril 2014 | 16h33

As universidades federais preparam um projeto de uma nova expansão da rede nos próximos dez anos, que deve ser apresentado ainda em maio para a presidente Dilma Rousseff (PT). O novo Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni) terá foco na consolidação das ações realizadas desde 2007, quando o programa foi criado, mas também prevê aumento na oferta de vaga. A modalidade de ensino a distância (EAD) terá prioridade.

Segundo o presidente da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), Jesualdo Farias, uma das bases do projeto, que está sendo discutido, será o das metas existentes no Plano Nacional de Educação (PNE). “Apesar de o Reuni ter dobrado as vagas da rede, temos grandes desafios que estão no PNE. Temos de contribuir com o aumento de quantidade de matriculas”, defende ele. O plano  está em fase final de análise no Congresso.

O PNE estipula como meta ter pelo menos 30% dos jovens na faixa etária de 18 a 24 anos no ensino superior. Hoje esse porcentual fica em torno de 20%. “Precisamos dar nossa contribuição”, diz Jesualdo.

O Brasil mais que dobrou a oferta de vagas nas universidades federais entre 2003 e 2013, chegando a 239 mil vagas. Houve avanço no número de câmpus e universidades, mas ainda há muitas falhas de infraestrutura e consolidação de projetos de pesquisa, por exemplo.

O novo Reuni terá expansão de vagas, mas Farias já adianta que o número de vagas presenciais não deve avançar no mesmo ritmo dos últimos anos. “Não vamos assumir as metas de expansão apenas com o presencial, mas sim com o ensino a distância”, diz.

A expansão também focará duas necessidades do país: formação de professores e áreas de tecnologia.