Nem metade dos alunos conseguiu renovar contratos do Fies

Cerca de 800 mil alunos conseguiram o aditamento. Prazo vai até o fim de abril e é considerado adequado para o MEC; Novos contratos estão sendo limitados

Paulo Saldaña

12 Março 2015 | 03h00

Nem metade dos estudantes que têm contratos ativos do Financiamento Estudantil (Fies) conseguiu renová-los até ontem, mesmo depois de 40 dias que o sistema online foi aberto. Isso representa cerca de 800 mil alunos, segundo a reportagem apurou.

O prazo vai até 30 de abril. O Ministério da Educação (MEC) garantiu que todos os 1,9 milhão de estudantes com Fies têm garantia de renovação. Com o objetivo de brecar os gastos com o programa, o MEC promoveu desde o fim de 2014 uma série restrições no acesso ao Fies, que financia alunos em universidades particulares.

O Fies foi bandeira eleitoral da presidente Dilma Rousseff (PT) na campanha que a reelegeu no ano passado. Apesar disso, o programa educacional não foi poupado no corte de gastos promovido pela área econômica do novo governo.

O sistema eletrônico do MEC tem apresentado vários problemas de instabilidade de conexão – o que, somado às restrições, tem causado inclusive confusão entre os alunos. Muitos se dirigiram às instituições, como ocorreu na FMU, região central de São Paulo, na quarta-feira, 11, e terça, 10. Na tarde de ontem, houve a distribuição de senhas e as filas se dispersaram. O grande número de alunos com contratos ativos e a alta procura pelo programa têm sido apontados como os motivos para as falhas no sistema.

O sistema online ficou fechado neste ano até 28 de janeiro, quando foi aberto apenas para renovações. Nesse prazo houve limitações para o percentual de reajuste das mensalidades, o que atrasou as renovações.

O MEC garante que o prazo será suficiente para todos que quiserem fazer os aditamentos. O mesmo não é garantido para quem busca o programa agora. Com limitações regionais e por tipo de curso, definidas pelo MEC, mas não detalhadas pela pasta, estima-se que somente 250 mil novos contratos sejam realizados em 2015. Não chega à metade da marca de 2014, quando houve 700 mil financiamentos. Um balanço final só será divulgado quando o sistema for fechado.

O site para novas adesões foi aberto no dia 23 de fevereiro e também fecha no fim de abril. Desde 2010, quando o Fies foi reformulado, criando facilitações nas condições de pagamento, o sistema ficava aberto o ano todo. Em 2014, os gastos no Fies chegaram a R$ 13,7 bilhões.

Reportagens publicadas pelo Estadão no mês passado mostraram que, apesar de os gastos com o Fies decolarem de 2010 para cá, o número de alunos do ensino superior privado não cresceu na mesma ordem – na verdade, o ritmo de expansão da rede particular até caiu. / COLABOROU MONICA REOLOM

Mais conteúdo sobre:

FiesMEC