Redação nota 1000 coloca aluno no topo do vestibular

Redação nota 1000 coloca aluno no topo do vestibular

Oficina do Estudante

11 Julho 2018 | 15h26

Por Juliano Sanches
E-mail: imprensa@oficinadoestudante.com.br

A arte de escrever bem nas provas está associada à capacidade de movimentar imagens mentais no leitor, uma vez que conduz a um olhar crítico e multilateral.

O Colégio e Curso Oficina do Estudante estimula a produção de uma ou mais redações por semana, acompanhadas por um professor em sessões de monitoria, com a intenção de encontrar os vícios e corrigi-los.

As leituras de obras de sociologia, filosofia e história colaboram com o acúmulo de repertório, o que favorece na capacidade de argumentação.

Quem mergulha em títulos da ficção científica adquire a habilidade de propor desconstruções de clichês a partir de temas da atualidade, como em eixos usuais no âmbito da tecnologia, entre eles, Big Data, inteligência artificial.

Discorra, por exemplo, sobre o impacto das pressões políticas na pesquisa, sob a ótica das relações de poder presentes na dinâmica, em vez de apenas descrever o funcionamento de determinadas áreas de conhecimento de maneira rasa.

Quando os colegas e parentes são convidados a ler, o estudante é capaz de perceber o quanto foi capaz de afetar, e quais foram os questionamentos despertados.

Planeje a linha do tempo por eixos interpretativos

Por meio da intertextualidade, deve-se citar autores, obras, datas, e outras particularidades, capazes de fazer a diferença.

Demonstre que você tem um contato prévio com os pressupostos, pelos quais se pretende investir na retórica.

Fique em sintonia com aquilo que é discutido nas redes sociais, uma vez que a base da dissertação se sustenta a partir de evidências levantadas em múltiplos meios.

Comece com um título e uma frase de abertura, que reforcem a importância do conteúdo que será assimilado. Deve haver uma conexão entre o desenvolvimento, a conclusão e a introdução. Faça perguntas. Quê? Quando? Quem? Como? Onde? Por quê? Formule hipóteses de interpretação a partir do uso da lógica.

Ao refletirem sobre as opções de intervenção condizentes em debates sobre propostas textuais, os professores do Colégio e Curso Oficina do Estudante enunciam, ao longo do calendário letivo, a relevância de expor os embates entre os agentes responsáveis. Entre os exemplos, a prefeitura e o governo do estado. Deve-se evitar abordagens recorrentes, para não transparecer um senso de amadorismo.