Plano de estudo eficiente: aprenda como fazer

Plano de estudo eficiente: aprenda como fazer

Oficina do Estudante

26 de fevereiro de 2020 | 14h44

Por Daniel Cecílio
Coordenador pedagógico Oficina do Estudante

Para fazer um plano de estudos eficiente é necessário, em primeiro lugar, fazer:

> uma avaliação do que estará sendo exigido semanalmente do aluno

> verificar a disponibilidade que ele tem para suprir essa necessidade

Uma forma prática para fazer isso é:

> listar em uma coluna todas as frentes de estudo ou, simplesmente,

> listar todos os professores que dão aula em uma semana

Ao lado do nome de cada professor, o aluno deverá colocar quanto tempo será necessário para estudar semanalmente aquela matéria.

Para tanto, deve levar em consideração:

> o estudo da teoria

> a realização de resumos, se for uma prática do estudante, e

> a resolução de exercícios de fixação

Fazendo isso, o aluno conseguirá verificar a quantidade de horas semanais que julga necessário para um bom aprendizado.


Atividades

Após essa etapa, deverá verificar o tempo que terá disponível diariamente para os estudos.

É fundamental avaliar o tempo efetivamente livre para isso.

Portanto, descontará o tempo para:

> alimentar-se (almoço, jantar, lanches etc.)

> higienizar-se (banho, idas ao banheiro)

> deslocar-se (escola para casa, por exemplo)

> distrair-se (momentos de lazer sozinho, com a família ou amigos)

> realizar atividades extras (como inglês e academia)

> tirar pausas durante o estudo

> dormir (o sono é fundamental para o aprendizado e manutenção da qualidade de vida ao longo do ano)

Balança

Após essa reflexão, o aluno terá duas informações importantes:

1-) o tempo que considera adequado para estudo das matérias

2-) o tempo livre que tem para estudar

Com base nesses dados, terá mais clareza da situação (necessidade de estudo x tempo livre).

E, com isso, poderá fazer ajustes para que esses tempos se equilibrem.

Dessa forma, o tempo disponível para estudar deve ser pelo menos igual ao que ele considera necessário.

Normalmente, o estudante precisará fazer ajustes nos seus tempos verificados, tais como:

> aumentar o tempo de estudo

> equacionar melhor o tempo dedicado a cada um dos professores

Assim, o aluno vai se conscientizado da rotina e das necessidades de estudo durante a semana.

plano de estudo

Plano de estudo

Após a tomada de consciência, é chegada a hora de distribuir as matérias ao longo dos dias.

Um método clássico é o famoso “aula dada, aula estudada”.

Ou seja, o aluno deve estudar no dia as matérias que foram dadas naquele mesmo dia.

Podemos até considerar esse método como o ideal, porém, normalmente no dia a dia de um bom curso pré-vestibular, como o da Oficina do Estudante, o aluno pode ter alguns dias com mais atividades para serem feitas, tais como:

> maior carga de exercícios

> teorias para serem estudadas ou até mesmo aulas

> o que fará com que não consiga, todos os dias, estudar as matérias dadas naquele dia.

Ajustes

Será então necessário o uso dos fins de semana para compensar eventuais atrasos na matéria, ou simplesmente para ajustar as matérias que não couberam no plano de estudo de segunda a sexta-feira.

Pensando dessa forma, talvez seja mais interessante distribuir as matérias ao longo da semana de forma que os dias fiquem equilibrados, ou seja, que um dia não tenha um acúmulo de matérias de exatas ou humanas.

Por exemplo: se uma aluno tem dificuldade em determinada área do conhecimento, um dia mais cheio dessas matérias certamente levaria o aluno ao atraso e, possivelmente, ao desestímulo ao longo do ano.

Portanto, um conselho é que ele procure distribuir as matérias de forma a ter dias equilibrados ao longo da semana, para que consiga, ao final de um ciclo semanal, ter estudado eficientemente todos os conteúdos trabalhados em sala.

Adaptação

É importante também salientar que o plano de estudos não precisa ser fixo, imutável.

Isso porque:

> os assuntos das matérias vão mudando ao longo do ano

> o próprio aluno vai amadurecendo e desenvolvendo maior capacidade de estudo

> o estudante adquire conhecimento de si e da sua melhor forma de aprender

Além disso, essa capacidade de adaptação sobre o que acontece na semana é fundamental, pois nós não temos o mesmo desempenho todos os dias.

O aluno tem que ter tranquilidade para ajustar seu plano diante das contingências que estão sujeitas a acontecer e saber que não são elas que o impedirão de alcançar seus sonhos futuros.

Basta para isso ter tranquilidade, procurar o auxílio da equipe de Orientação Educacional da escola e seguir em frente, avaliando todos os dias o que poderia ter feito melhor e reconhecendo também o que fez de bom e a evolução que vem apresentando.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: