Planejamento conduz às universidades mais renomadas

Planejamento conduz às universidades mais renomadas

Oficina do Estudante

16 de janeiro de 2019 | 10h54

Por Juliano Sanches

E-mail: imprensa@oficinadoestudante.com.br

 Ao iniciar a jornada de estudos para o vestibular, deve-se verificar uma série de itens, que definirão a capacidade de absorção do aluno. Definir o curso e as universidades correspondentes contribui com o manejo das atividades. É importante saber onde se quer chegar e quais são os meios de ação disponíveis.

 

Organização

O cronograma faz com que o estudante consiga realizar uma série de atividades, sem se sobrecarregar ou comprometer a qualidade. Ao analisar o desempenho em edições anteriores dos vestibulares, e estabelecer um comparativo, é possível atribuir os pontos que necessitam de ajustes, capazes de decidir, de modo positivo, os próximos resultados. Deve-se levar em consideração o fato de que, em muitas avaliações, seja recorrente o caso de alunos que não entregam um número significativo de questões fáceis. É preciso ficar atento ao potencial de resolução conforme o nível de dificuldade do item.

 

Metas

O vestibulando deve se atentar à programação de ações para três meses, seis meses, e até um ano. O uso de cores, para atribuir relevância quanto à hierarquia de disciplinas, é uma opção que contribui com o aprimoramento da técnica. É preciso estar atento à condição de desempenho, pela qual se encontra, ao propor metas, uma vez que não se pode basear em cenários intangíveis.

 

Ambiente

O Colégio e Curso Oficina do Estudante recomenda que o estudante utilize a sala de estudos do Curso Pré-vestibular. O ambiente familiar, devido ao excesso de estímulos, como no caso das redes sociais, afeta a qualidade de retenção. A iluminação é fundamental, pois não pode haver excesso nem escassez. Se a luz não estiver direcionada, com equilíbrio, o cansaço na vista sabotará os planos do leitor.

 

Tendências: