Oficina tem novo coordenador pedagógico com formações na Unicamp e na USP

Oficina tem novo coordenador pedagógico com formações na Unicamp e na USP

Oficina do Estudante

03 de agosto de 2022 | 14h32

O Colégio Oficina do Estudante conta com um novo integrante no Dream Team. Trata-se de Luís Felipe Tuon, de 40 anos, conhecido como “Felão”. O educador assume a coordenação do Ensino Médio da Unidade Barão

Natural de Itatiba (SP), se formou em Ciências Biológicas pela Unicamp em 2006. Em 2012, fez extensão em Astrobiologia pela USP. 

         Luís Felipe Tuon, “Felão”, novo coordenador pedagógico do Colégio Oficina

1) Qual é a sua trajetória profissional?

Iniciei em 2004 (até 2009) como professor de Biologia no Colégio Objetivo de Itatiba e, logo depois, em 2005 (até 2011), entrei também no Colégio Objetivo de Valinhos. Em 2010 (até 2015), iniciei como professor para as turmas do pré-vestibular de medicina e engenharia no Curso Elite Pré-Vestibulares. 

Em 2013, iniciei minha primeira experiência como gestor, quando fui coordenador pedagógico do Curso Pré-Vestibular do Poliedro, em Itatiba. Fiquei lá até 2018. 

Em 2019 (até 2020) uma nova experiência, agora como orientador pedagógico do ensino médio no Colégio Objetivo Campinas, na unidade do Centro, e em 2021, até julho de 2022, voltei à coordenação pedagógica no mesmo, porém na unidade de Barão Geraldo. 

Paralelamente, entre 2010 e 2018, também fui professor nos colégios Rodin/COC e Progresso/Poliedro, ambos em Indaiatuba, além dos seguintes colégios em Campinas: Anglo, Novo Anglo, Progresso e Objetivo Vila Industrial.

2) Quais são seus objetivos profissionais?

Profissionalmente, tenho um objetivo claro que carrego comigo desde o início da minha carreira. Como divulgador científico quero, cada vez mais, despertar e aumentar o interesse dos jovens pelas ciências e pelo método científico. Mostrar para eles que usar tal método vai além da proposta pedagógica que eles usam na escola ou em casa, para estudar. A ideia é fazê-los entender que eles podem, e devem, usar a ciência e o método científico no dia a dia, em sua vida pessoal, na resolução dos problemas e nas tomadas de decisões.

Com esse pensamento de divulgador científico, quero me tornar uma pessoa cada vez mais influente sobre a educação de jovens e adultos, quem sabe, do Brasil inteiro. E a Oficina do Estudante pode proporcionar isso.

Quero crescer dentro da Oficina, chegar à direção de uma unidade e, quem sabe, a algo mais. Quero aumentar meu poder de influência e interferência sobre a educação e o desenvolvimento da capacidade científica dos nossos alunos e, por que não, de alunos Brasil afora. 

A Oficina está em Campinas, mas o reconhecimento da grande escola que é, já aparece em todo o país. Tenho certeza que, ao lado da Oficina do Estudante, posso crescer, junto aos meus pares, e fazer crescer tanto a escola quanto a minha ideia de divulgar ciência e ajudar na educação brasileira com maiores chances do que se tentasse sozinho.

3) Em que medida o colégio define os resultados do aluno?

Em minha opinião, um colégio que pratica uma educação saudável define os resultados dos alunos levando em consideração seus aspectos técnicos (índice de aprendizagem, conhecimentos adquiridos, notas etc) e seus aspectos sócio emocionais (saúde e equilíbrio mental, maturidade adquirida, planejamento futuro, aspirações adequadas à realidade etc).

Qualquer aluno, mesmo em uma escola com metodologia conteudista, não pode ser visto como uma “máquina” de fazer provas, uma vez que, se deixado para trás todo o controle emocional e a saúde mental do mesmo, seu rendimento em provas e vestibulares será comprometido e o conteudismo utilizado será questionado.

4) Como você avalia o Sistema Etapa?

Não há dúvidas que, em se tratando de metodologia conteudista, o sistema Etapa é tranquilamente um dos melhores do Brasil, se não o melhor. O material traz grande profundidade em cada uma das disciplinas e se apresenta extremamente adequado ao ensino dos alunos que almejam prestar os grandes vestibulares do Brasil.

5) Por que a escolha pela Oficina do Estudante?

A Oficina do Estudante é, hoje, o maior e melhor colégio de Campinas, então, não é difícil dizer que estou aqui para estar e crescer com os melhores. A Oficina tem um gigantesco potencial de crescimento, é a empresa que poderá me propiciar chegar mais próximo daquilo que desejo para minha vida e para minha família. Despontar com um bom trabalho, chegar a cargos maiores, com maior poder de influência, andar lado a lado com a Oficina atingindo cada vez mais um maior número de estudantes, e poder mostrar a todos eles a força que a ciência e o método científico têm para revolucionar a educação brasileira e, por que não, para mudar o mundo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.