Fuvest 2022: o que esperar da prova da 1ª fase e como ir bem?

Fuvest 2022: o que esperar da prova da 1ª fase e como ir bem?

Oficina do Estudante

07 de dezembro de 2021 | 14h10

As provas da Fuvest são bastante tradicionais, conteudistas e muito mais diretas em suas questões, se comparadas ao vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A análise é do orientador educacional do Curso Pré-Vestibular da Oficina do Estudante de Campinas (SP), Alfredo Terra Neto.

“Em geral o aluno sabe ou não sabe a maioria das questões, pois são poucas as que oferecem um texto que sirva como suporte ou que possam ser resolvidas apenas pelo raciocínio lógico. Acredito que a Fuvest promoverá a manutenção do seu já tradicional modelo de prova”, opina.

      Na imagem, Alfredo Terra Neto, professor e orientador educacional da Oficina 

 Dicas para ir bem na 1ª fase… 

Alfredo Terra Neto: Não existe nada milagroso que possa ser feito agora para ir bem na Fuvest. O esperado é que o aluno tenha se preparado bem ao longo do ano, estudando os conteúdos clássicos passados pelos professores, bem como realizando simulados e provas anteriores.  

Agora em relação ao momento da prova, o aluno deve ficar atento com o tempo: são aproximadamente 3 minutos por questão.

“É importante neste sentido que o aluno não tome nenhuma questão como desafio, pois todas valem a mesma pontuação, portanto é uma péssima estratégia gastar muito tempo em uma questão.” 

Sobre a ordem das disciplinas/questões, o aluno deve realizar aquilo que ele treinou durante o ano. Mudar a estratégia agora não é legal. Ressalva importante: caso o aluno não tenha uma estratégia definida para o momento da prova, sugerimos que comece pela matéria mais fácil e alterne com a mais difícil e que seja ao mesmo tempo, de outra área do conhecimento. Exemplo: um aluno com mais facilidade em humanas e dificuldade em exatas, pode fazer da seguinte forma: começar por História (facilidade) e seguir para Matemática (dificuldade). Depois seguir para Português (facilidade) e Física (dificuldade). Deve seguir assim até finalizar a prova, sempre pulando as questões mais difíceis, deixando-as para o final. 

Finalmente: é importante ficar atento com o gabarito. É muito arriscado deixar menos de 25 minutos para passar o gabarito. Para que haja tempo para tal, uma dica é realizar mais ou menos 20 questões por hora. Na hora final o aluno realiza 10 questões e passa o gabarito. Esta é uma boa métrica. 

Como deve ser a preparação nos últimos dias? Descansar ou revisar conteúdos? Há um cronograma ideal?

Alfredo Terra Neto: Em geral, cada Curso Pré-Vestibular tem o seu cronograma definido. Provavelmente, neste momento, a maioria dos cursinhos está no período de revisão e o aluno, com raras exceções, deve fazer o que é indicado pelo cursinho em que está matriculado. As revisões neste período costumam ser mais leves e dão prioridade aos modelos de questões da Fuvest, para que o aluno fique mais confortável com os “macetes” passados pelos professores. É necessário sim fazer uma boa revisão de conteúdos. O descanso deve vir no período da noite (uma boa noite de sono é fundamental para recuperação das energias e para o processo de memorização). Outro importante momento de descanso é sábado que antecede a prova.  

O cansaço, após um mês (novembro) de vestibulares e Enem, pode pesar? O que fazer? 

Alfredo Terra Neto: O cansaço pode e vai pesar para os alunos que estudaram com afinco e disciplina ao longo do ano todo. O cansaço deve ser combatido com descanso. O aluno precisa fazer uma autoanálise da sua situação e, se perceber que precisa descansar, deve fazê-lo de forma imediata. Descansar não é um problema e não impedirá a aprovação. A estratégia pode ser descansar um ou dois dias e retomar os estudos, fazendo novas pausas para descanso em caso de necessidade. Reforçando: a melhor forma de descanso é através de uma boa noite de sono, tanto em qualidade quanto em quantidade de horas (7 a 8 horas). Distrair a mente com músicas, filmes e séries também é muito importante para a manutenção do equilíbrio nesta reta final. Atividades físicas leves também podem ser muito importantes para este momento, se possível em locais que privilegiem o contato com a natureza. 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.